Vacinação contra febre aftosa segue até 31 de maio

(Fotografia - Agência Brasil)

Imunização faz parte do plano estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa)

Segue até o dia 31 de maio a primeira etapa da campanha de vacinação obrigatória contra febre aftosa no Espírito Santo. Precisam ser imunizados bois e búfalos com até dois anos de idade. No Estado, a campanha, que é coordenada pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf/ES), começo no dia 1º do mês.

A partir deste ano, os produtores devem ficar atentos para a alteração na dosagem da vacina, que passou de 5ml para 2ml para cada animal, disponibilizada em frascos de 15 ou 50 doses.

Além da alteração na dose, a nova vacina apresenta mudanças em sua composição com a expectativa de que ocorram menos reações nos animais (caroços, inchaço). As vias de aplicação continuam as mesmas (intramuscular ou subcutânea), porém recomenda-se a subcutânea (entre o couro e o músculo – na tábua do pescoço) como preferencial a fim de minimizar as reações locais.

Aqueles que deixam de imunizar os animais estão sujeitos a multa. Além disso, ficarem impedidos de retirar animais de suas propriedades até regularizarem a situação sanitária do rebanho.

De acordo com o diretor-presidente do Idaf, Mário Louzada, é importante que os criadores estejam comprometidos com a imunização e que espera que a totalidade do rebanho seja atingida. “Estamos próximos da retirada da vacinação, prevista para 2021, e precisamos manter a cobertura vacinal em um bom nível para que não comprometa o previsto no Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa) 2017 – 2026”, explicou.

Como vacinar

A vacinação é de responsabilidade do produtor e as vacinas devem ser adquiridas, durante o período da etapa, em lojas agropecuárias cadastradas junto ao Idaf. Após a compra, é importante seguir as normas de transporte, manutenção, higienização e aplicação para não comprometer a qualidade do produto.

O médico-veterinário Porto Junior, responsável no Idaf pelo Pnefa, explica que elas devem ser transportadas em isopor de tamanho adequado, com gelo em quantidade suficiente, e ser conservadas na temperatura correta (de 2°C a 8°C). Outra recomendação é substituir a agulha a cada dez animais vacinados e limpar seringa e agulhas no início e ao final do procedimento, fervendo-as e guardando-as limpas e secas.

Comprove a vacinação

A comprovação da vacinação é obrigatória e pode ser feita pela internet (até 31 de maio) ou nos escritórios do Idaf (até 10 de junho). Para o procedimento on-line é preciso comparecer previamente ao escritório do Instituto para obter login e senha de acesso ao sistema, caso ainda não possua.

Durante a comprovação da vacinação, os produtores também devem informar os nascimentos e as mortes de animais ocorridos na propriedade desde a última atualização do rebanho.

Os produtores que não tenham animais em idade vacinal também devem fazer a atualização do rebanho, até o dia 10 de junho.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!