Robô conversa com a população e dá dicas e informações

Foto: Pixabay

“Smart City” é o nome do robô que a Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas, em parceria com a PrimeLan Tecnologia, lança nesta quarta-feira (18), em São Paulo

Já pensou estar algum lugar e perguntar a um robô, no seu celular, como chegar a outro endereço? A partir de agora isso será ainda mais fácil por meio do “Smart City”, um robô que utiliza a inteligência artificial para dialogar, apresentando uma gama de informações e dicas.

O robô que será lançado nesta quarta-feira (18) é resultado de uma parceria entre a Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas em parceria com a PrimeLan Tecnologia. Ele será apresentado durante a feira Connected Smart Cities em São Paulo.

De acordo com o presidente da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas, André Gomyde, a tecnologia ajudará as cidades brasileiras nos primeiros passos do caminho para as cidades inteligentes.

Além disso, a tecnologia que já é utilizada por bancos e companhias aéreas permitirá as prefeituras disponibilizarem à população uma infinidade de informações sobre os serviços da cidade, facilitando o dia a dia.

Com exclusividade à ES Brasil, o presidente da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas, André Gomyde, contou como funcionará o “Smart City”. Confira!

ES Brasil – Como o robô estará acessível às pessoas?
André Gomyde – Pelo celular! A PrimeLan Tecnologia, nossa parceira que desenvolve sistemas tecnológicos modernos e inteligentes, criou um aplicativo de informações sobre os serviços da cidade, hoje muito utilizado por diversas prefeituras brasileiras. Nós demos a esse aplicativo o nome de “Conecta”. As pessoas baixam o aplicativo na Apple Store ou na Play Store e passam a contar com diversos serviços que ela disponibiliza. Dentro deste aplicativo estará o “Smart City”, o robô com o qual você poderá dialogar e se informar sobre diversos assuntos, de maneira rápida e prática.

ES Brasil – Como é a utilização do robô?
André Gomyde – É muito simples. Após baixar o aplicativo de sua cidade, ali dentro terá um ícone com a logomarca que a prefeitura escolheu para representar o robô (cada cidade poderá escolher um “avatar” e um nome para ele). Basta clicar no ícone e a pessoa terá acesso a um “chat” no qual poderá fazer diversas perguntas e ser atendida em suas necessidades. Obviamente que por ser um sistema de inteligência artificial, ele vai aprendendo ao longo do tempo. Portanto, no início nem todas as informações estarão disponíveis, a não ser aquelas que a prefeitura já disponibiliza. Mas se a pessoa faz uma pergunta que o robô ainda não sabe, ele informará que não compreendeu. No entanto, ele já começará a “estudar” o assunto para brevemente poder apresentar, também, aquela informação.

ES Brasil – Como o robô ajudará no processo da Cidade Inteligente?
André Gomyde – No Brasil ainda não temos nenhuma cidade inteligente, mas temos muitas cidades que já estão nesse caminho. Hoje o que temos por aqui são diversas Cidades Digitais, que são as cidades que possuem soluções tecnológicas para diversos serviços oferecidos pelas prefeituras, mas para ser inteligente a cidade precisa de infraestrutura tecnológica adequada e isso custa caro. Para se tornar uma cidade inteligente, é necessário um planejamento de longo prazo e que envolva os cidadãos nessa construção. É um processo que leva, no mínimo, 15 anos. Por isso, o aplicativo Conecta e o robô “Smart City” são instrumentos que ajudam a população a já interagir com a tecnologia, enquanto a cidade se organiza e prepara seu Plano Mestre de Cidade Inteligente. Nós estamos ajudando diversas cidades com essa metodologia, que foi construída com base nos estudos que fazemos desde o ano de 2010 e com base nas orientações da ONU, da OCDE, do BID, e da UIT. Temos indicadores de Cidades Inteligentes que, juntamente com a ISO, nos mostrarão a evolução das cidades. O robô “Smart City” vai ajudar muito na análise desses indicadores, na construção da cidade inteligente, e vai ser o xodó das pessoas. Ele terá, em cada município, o nome da cidade e um “avatar” (uma figura) que representará algo que seja característico da localidade, se tornando extremamente amigável, e facilitando sua utilização pelos cidadãos.

Conteúdo Publicitário