23.9 C
Vitória
quarta-feira, 25 maio, 2022

Saiba como evitar dívidas e investir em 2022

Entre as dicas está a pesquisa de preço pela internet. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Em entrevista a ES Brasil, especialista financeiro dá dicas para lidar com dívidas e gerar renda de forma segura

Por Amanda Amaral 

Enrolado com dívidas e sem um planejamento financeiro não é a melhor forma de começar o ano novo. Isso porque 2022 promete provocar grande volatilidade no mercado financeiro em razão das eleições majoritárias, variantes do novo coronavírus, alta na taxa de juros e da inflação, e outras incertezas.

Por isso, a ES Brasil conversou com o sócio fundador da Pedra Azul Investimentos, Lélio Monteiro, para saber quais as melhores dicas para quem quer aproveitar o novo ano sem preocupações.

Pesquisa de Preço

Sobre compras, as palavras de ordem são pesquisar e planejar. É interessante que o consumidor utilize os mecanismos de buscas dos sites de pesquisa, além de sites específicos que já fornecem uma comparação e histórico de preços.

“Dificilmente você vai saber se o produto está barato olhando numa primeira pesquisa. De uns tempos para cá, as coisas ficaram mais caras por causa da elevação do dólar e da inflação, mas você ainda consegue traçar uma linha para avaliação, o preço vai oscilar em uma média. O ideal é que você compre pelo valor que esteja abaixo desse média histórica”, explicou Monteiro.

À vista ou Parcelado

Muita gente fica na dúvida na hora de escolher a forma de pagamento, ambas podem ser vantajosas, segundo o especialista em finanças, porém é necessário lançar mão da calculadora e fazer as contas.

Até 10% de desconto ou mais, parcelado em 10 vezes, é uma ótima opção para utilizar o cartão. “Se colocar parcelamento de 3 a 6 vezes, com desconto de 5%, também pode valer a pena. Mas se a taxa de juros aumentar, o percentual de desconto também deve ser maior”, explicou.

O consumidor precisa avaliar o preço à vista e o preço a prazo, o que depende também da quantidade de parcelas dadas e do desconto. Contudo, muitas vezes, o produto é apresentado com o mesmo valor no PIX, no boleto e no cartão de crédito.

“Nesse caso, o cartão dá vantagens como milhagens e cashback, o que o torna mais atrativo. A outra coisa é segurança. Existem sites que são fraudados e quando você paga pelo cartão tem a operadora como um moderadora para esse problema”, afirmou Lélio Monteiro.

Uma dica é evitar o pagamento mínimo da fatura do cartão de crédito. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Cartão de crédito

“O brasileiro precisa entender que não é para utilizar o crédito rotativo do cartão. Alguns vão dizer que não tem jeito, mas é melhor não comprar, do que comprar e depois não pagar a cartão”, declarou o especialista.

Uma das dicas é evitar o pagamento mínimo da fatura em razão dos juros compostos e das taxas. “Pagar metade da fatura do cartão e deixar a outra metade para o mês que vem, pode até funcionar, mas se você pagar o mínimo e ficar rolando a dívida, depois não consegue mais quitar. A dica que eu dou é ter planejamento. Se eu não posso comprar neste mês, vou me planejar para daqui a 6 meses. Assim, não faço dívidas no cartão fora do que eu programei”, disse.

Como investir

O mercado financeiro promete se mostrar bastante volátil em 2022 em razão das eleições majoritárias no Brasil e ameaças de novas restrições sanitárias por conta da variante Ômicron. Além disso, está prevista nova elevação da Taxa de Juros Selic em fevereiro, na tentativa de controlar a inflação, cuja prévia fechou 2021 em 10.4%.

Por isso, Lélio Monteiro alerta que será um ano bem complicado para investimentos arriscados como é o caso das ações. “Se a pessoa realmente optar por este investimento, a dica é procurar por ativos de empresas que são mais rentáveis, seguras e estáveis. Nós vimos durante a pandemia que muitas delas são resilientes as crises, algumas estão melhores do que antes”, comentou.

A outra opção são investimentos mais conservadores como títulos DI, títulos públicos, CDBs, LCA e LCI, por exemplo. Isso porque, conforme explicou o especialista financeiro, esses investimentos estão ligados a Taxa Selic.

“Como a taxa vem subindo e não sabemos onde vai parar, em tese, os juros básicos do País deve ficar acima da inflação nos próximos meses. Isso facilita para quem quer pegar o 13° terceiro e guardar um pouco em um fundo mais conservador, procurando as menores taxas”, observou.

Confira as dicas

– Faça pesquisas e planeje suas compras.

– Utilize mecanismos de buscas nos sites de pesquisa para comparação, além de sites específicos que fornecem comparação e histórico de preços.

– Na hora de escolher a forma de pagamento, calcule a melhor opção e não decida por impulso.

O mercado financeiro estará bastante volátil em 2022. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

– Descontos de até 10% em compras parceladas em até 10 vezes sem juros podem ser uma boa opção. Caso os juros aumentem com o parcelamento, o percentual de desconto também precisa ser maior para se obter vantagem.

– Caso o produto tenha o mesmo valor em qualquer forma de pagamento, o cartão de crédito oferece benefícios como milhagens e cashback, além de maior segurança em compras online.

– Faça um planejamento para os gastos com cartão de crédito.

– Sempre opte por realizar o pagamento do total da fatura do cartão de crédito e evite ao máximo o pagamento mínimo.

– Tenha cautela ao realizar investimentos arriscados como ações. Neste caso, procure ativos de empresas rentáveis, seguras e estáveis no mercado financeiro.

– Uma opção é ser mais conservador e investir em títulos ligados à Taxa Selic, que deve subir novamente em fevereiro. Procure por taxas mais baixas.

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade