Rodoviários continuam greve com mais de 420 ônibus parados

Foto: Reprodução/ internauta WhatsApp

A paralisação, que começou nesta terça-feira (12), levou representantes do Sindirodoviários a fecharem as garagens 

A manhã desta quarta-feira (13) começou complicada para os usuários de transportes coletivos na Grande Vitória. Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Espírito Santo (Sindirodoviários) passaram a noite na frente da garagem da Santa Zita, empresa que atende os municípios de Viana e Vila Velha.

Agora, além dela, a garagem das empresas Praia Sol e Vereda, no município de Vila Velha, também amanheceu fechada. Com isso, os pontos de ônibus ficaram cheios e muitos usuários chegaram atrasados nos seus destinos.

Nesta manhã, cerca de 425 ônibus que atendem os municípios de Cariacica, Vila Velha e Viana estão sem circular. Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus) informou que o seletivo está prejudicado e 30% da frota do Mão Na Roda está sem circular. Além disso, o Bike GV também não está operando. Com isso, 884 trabalhadores continuam impedidos de sair das garagens.

A GVBus afirmou, ainda, que o Sindirodoviários ‘insiste em um movimento ilegal e hoje fechou as saídas de duas garagens’, o que pegou a população de surpresa.

A nota diz que “eles questionam a jornada reduzida praticada por algumas empresas, que está prevista no artigo 58 da CLT. Reforçamos que as empresas estão agindo de acordo com a lei. Ressaltamos que a decisão do Tribunal Regional do Trabalho sobre essa questão já estava marcado há alguns dias para hoje, às 13 horas. Ou que não justifica essa paralisação, já que a discussão estava nas mãos da justiça”.

Liminar

Por meio de nota, o GVBus informou que a paralisação fere a Lei de Greve, que prevê a publicação de edital informando à população sobre esse tipo de situação com 72 horas de antecedência. Por isso, o sindicato das empresas protocolou um pedido de liminar para suspender a greve.

O desembargador do Tribunal Regional do Trabalho do Espírito Santo (TRT-ES) Gerson Fernando da Sylveira Novais analisou o pedido na última noite e a petição foi protocolada dentro de um processo já existente, no qual não cabe pedido de ilegalidade de greve.

Paralisação

A paralisação começou às 4 horas dessa terça-feira (12). Após uma reunião entre o Sindirodoviários e a empresa Santa Zita, responsável por parte das linhas que operam no Sistema Transcol, não houve acordo. Veja aqui sobre a paralisação!

A empresa é responsável por linhas importantes, como 500, 504, 509, 515, 526, 591 e 700 que foram afetadas com a paralisação. As linhas 1900, 1901 e 1903, que operam no sistema Seletivo, também não estão circulando.

De acordo com o sindicato, a paralisação se deve pela jornada de trabalho reduzida e a insegurança dentro dos coletivos na Grande Vitória são as principais reivindicações dos rodoviários.


Leia mais:

Conteúdo Publicitário