23.3 C
Vitória
quarta-feira, 24 abril, 2024

Governo cria o programa Nota Premiada

Os consumidores que pedirem nota fiscal poderão concorrer a prêmios em dinheiro, segundo proposta do governo

Que tal receber de volta uma parte dos impostos gastos em compras e serviços? A exemplo de como acontece em estados como São Paulo, o Espírito Santo também pode vir a ter um programa que devolve dinheiro àqueles cidadãos que exigirem a nota fiscal. Trata-se do Programa Nota Premiada Capixaba, objeto do Projeto de Lei (PL) 515/2020.

A iniciativa do Executivo começou a tramitar nesta terça-feira (8), com a leitura em Plenário. Ainda nesta terça, os parlamentares aprovaram a tramitação da matéria em caráter de urgência, por solicitação do deputado Dr. Hércules (MDB). Portanto, o projeto já entra na pauta de votação da próxima sessão, que acontece na quarta-feira (9).

- Continua após a publicidade -

O objetivo do programa é incentivar o consumidor a solicitar o documento fiscal, de emissão obrigatória, durante compras em mercados capixabas, concorrendo, assim, em sorteios com premiação em dinheiro. O valor dos prêmios será definido em ato do governo do Estado.

De acordo com o governador Renato Casagrande (PSB), em mensagem ao presidente da Assembleia, Erick Musso (Republicanos), a campanha poderá ajudar a reduzir a concorrência desleal, já que vai exigir o cumprimento das obrigações tributárias próprias da comercialização dos produtos, beneficiando aqueles empresários que terão a imagem de “empresa cidadã” fortalecida.

O aumento da emissão de notas fiscais também terá como consequência o aumento da arrecadação tributária, colaborando com o combate à sonegação fiscal. “Assim, o que se espera alcançar com a criação desse programa, a principal meta, é tornar o cidadão mais consciente da função socioeconômica do tributo e, ainda, da função social da empresa, além do aumento da eficiência arrecadatória do Estado”, afirma o chefe do Executivo na mensagem.

Para participar dos sorteios, será necessário incluir o número do CPF na Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC) ou na Nota Fiscal eletrônica (NF-e). Os estabelecimentos fornecedores de mercadorias, bens ou serviços devem informar aos cidadãos a possibilidade de inclusão do CPF nas operações, e aqueles que dificultarem poderão ter que pagar multa. O programa não abrange a prestação de serviços de transporte interestadual e intermunicipal.

Além dos cidadãos participantes do programa, entidades sociais sem fins lucrativos credenciadas também vão receber prêmios em dinheiro – conforme regulamento a ser publicado por ato do Poder Executivo, com datas dos sorteios, critérios de premiação, definição dos prêmios, e outras disposições necessárias à implementação e à manutenção do programa.

O Nota Premiada Capixaba ficará sob responsabilidade da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), que deverá planejar, administrar, gerir, dirigir e executar as atividades do programa, bem como por supervisionar, controlar e avaliar seu desenvolvimento e resultados.

Indicações parlamentares

Desde 2010, o deputado Doutor Hércules (MDB) faz indicações ao governo solicitando a adoção de iniciativas semelhantes que incentivem o cidadão a atuar como agente fiscalizador em programas de implementação tributária. “Tornei esse tema um dos mais importantes do meu mandato e, desde 2017, quando conheci o Programa Nota Paraná, estive com todos os governadores e secretários de Fazenda, para entregar o modelo adotado naquele Estado e lutar pela criação de uma iniciativa similar no Espírito Santo”, conta.

A Indicação 1.459/2019 tem como objetivo não apenas incentivar o aumento da arrecadação tributária, ao premiar o consumidor que solicitar a nota fiscal, mas, sobretudo, contemplar entidades do terceiro setor. De acordo com o deputado, a proposta serviu de base para o projeto do governo (PL 515/2020). “Estou muito feliz com essa vitória. Não descansamos um minuto até esse dia chegar e agradecemos ao governo do Estado ao tratar a matéria”, comemora.

Agora, o deputado quer ir além. Na Indicação 2.087/2020 (lida e aprovada pelo Plenário no útimo dia 11 de novembro), o parlamentar sugere ao presidente da Associação dos Municípios do Espírito Santo (Amunes) replicar o projeto nas secretarias municipais de Fazenda. “É possível potencializar ainda mais a iniciativa. Se as secretarias municipais se interessarem e estudarem o projeto, ao qual chamo de ‘Nota Capixaba’, poderemos replicar a iniciativa nas cidades e ajudar ainda mais as entidades do Terceiro Setor por meio de impostos municipais”, argumenta.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA