22.1 C
Vitória
sábado, 25 maio, 2024

Neurociência no trabalho: maximizando a produtividade e o bem estar

A neurociência moderna tem sete leis que oferecem um arcabouço para compreendermos o funcionamento do cérebro e sua interação com o ambiente

Por Letícia Deps 

Nos últimos anos, a neurociência tem desvendado os mistérios do cérebro humano, proporcionando “insights” valiosos sobre como pensamos, nos comportamos e interagimos com o mundo ao nosso redor. Entre os líderes nesse campo, a Dra. Lisa Feldman Barrett, renomada neurocientista, relacionou sete leis que tem contribuído significativamente para expandir nosso entendimento sobre a mente e suas complexidades.

- Continua após a publicidade -

As 7 Leis da Neurociência Moderna pela Doutora Fieldman oferecem um arcabouço para compreendermos melhor o funcionamento do cérebro e sua interação com o ambiente e tratam de  princípios como plasticidade cerebral, conexão mente-corpo e a influência do ambiente na neuroplasticidade.

  1. O cérebro humano é maleável e capaz de se adaptar e se reorganizar em resposta a novas experiências e estímulos.
  2. Conexão Mente-Corpo. Não há separação entre mente e corpo; as saúdes mental e física estão intrinsecamente conectadas.
  3. Integração dos Sentidos. As percepções sensoriais são integradas pelo cérebro para formar uma representação unificada do mundo ao nosso redor.
  4. Aprendizagem Emocional. As emoções desempenham um papel fundamental na aprendizagem e na tomada de decisões, influenciando nossas experiências e memórias.
  5. Plasticidade Contextual. O cérebro é sensível ao contexto e pode se adaptar de maneira diferente em diferentes ambientes e situações. 
  6. Relações Sociais. As relações sociais desempenham um papel crucial no bem-estar emocional e na saúde mental, moldando nossa percepção do mundo e influenciando nosso comportamento.
  7. Mudança Cultural e Individual. Tanto as mudanças culturais quanto as individuais têm o potencial de remodelar o cérebro ao longo do tempo, influenciando nossa identidade e visão de mundo.

A compreensão destas premissas ajuda na promoção de ambiente saudáveis e produtivos. Por exemplo, a plasticidade cerebral nos leva a reconhecer a possibilidade de aprendizado contínuo e do desenvolvimento profissional a qualquer tempo. Tal conhecimento reforça o investimento em programas de treinamento e capacitação para  melhorar as habilidades dos colaboradores, fortalecendo as conexões neurais associadas a essas habilidades.
Da mesma forma, reconhecer a interconexão entre mente e corpo ressalta a importância de programas de bem-estar, que promovam não apenas a saúde física, mas também a saúde mental dos funcionários. Práticas como “mindfulness”, atividade física e gerenciamento do estresse podem contribuir significativamente para a produtividade.
Um ambiente de trabalho positivo promove a colaboração, autonomia, reconhecimento e estimula o engajamento dos funcionários, criando um clima organizacional saudável.

As descobertas da Dra. Lisa Feldman Barrett ampliam nossa compreensão sobre o funcionamento do cérebro e destacam a importância da integração entre aspectos da vida pessoal e profissional como instrumento valioso para a construção de ambientes de trabalho saudáveis, produtivos e mais felizes. 

Letícia Deps é Neuroarquiteta – membro da Academia Norte Americana de Neurocîência aplicada a Arquitetura- ANFA nos capítulos San Diego-EUA e Brasil. Palestrante e consultora com projetos residenciais e empresariais e atuação voltada para treinamentos em neuroarquitetura empresarial e capacitação para a acessibilidade e inclusão.

Mais Artigos

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Fique por dentro

ECONOMIA

Vida Capixaba