25.9 C
Vitória
segunda-feira, 17 junho, 2024

Munir Abud de Oliveira fala sobre o saneamento básico capixaba

Companhia estadual tem metas ousadas, como a universalização do acesso na Grande Vitória até 2026

Por robson maia

Em 2020, o Brasil traçava uma meta arrojada em relação ao saneamento básico: até 2033, 99% da população brasileira deveriam ter acesso à água potável e 90% aos serviços de coleta e tratamento de esgoto, segundo o Novo Marco Regulatório do Saneamento instituído naquele ano. Esses objetivos se refletem nas atuações das companhias estaduais, como no caso da Cesan (Companhia Espírito-santense de Saneamento).

- Continua após a publicidade -

Principal referência capixaba quando o assunto é saneamento, a Cesan é responsável por atender cerca de 73% da população do estado, estando presente em 53 dos 78 municípios do Espírito Santo e servindo aproximadamente 2,5 milhões de capixabas. Atualmente o Espírito Santo conta com 92 Estações de Tratamento de Água (ETAs), que produzem, em média, 250 bilhões de litros de água por ano. O sistema de esgotamento sanitário é composto por 101 Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs), que tratam mais de 70 bilhões de litros anualmente.

Apesar dos números robustos, a universalização dos serviços de saneamento é um desafio coletivo, segundo o diretor presidente da companhia, Munir Abud de Oliveira. De acordo com ele, a empresa tem trabalhado para tentar antecipar os objetivos traçados pelo Novo Marco do Saneamento.

Um facilitador que pode acelerar o atingimento das metas é a autorização concedida por meio de um decreto de 2020 para a realização de Parcerias Público-Privadas (PPPs). Atualmente, a Cesan administra três contratos ativos nesse modelo de negócio, nos municípios de Serra, Vila Velha e Cariacica.

Munir ressalta que a Cesan opera como referência no Brasil no desenvolvimento e na gestão de contratos relativos a parcerias público-privadas (PPPs), que ajudam a acelerar o alcance das metas; O gestor ainda aponta: é possível atingir os objetivos na Grande Vitória antes do prazo nacional, uma vez que as parcerias ativas e os projetos já executados pela Cesan agilizaram a realização dos planos. Confira a seguir os melhores trechos da conversa de Munir Abud de Oliveira com a ES Brasil.

Qual o principal desafio para o ES na questão do saneamento, do ponto de vista nacional e estadual?

Todos os municípios atendidos pela Cesan já contam com o serviço de abastecimento de água disponível para toda a população urbana. A universalização do serviço de coleta e tratamento do esgoto é hoje o maior desafio para as companhias estaduais,
até porque o acesso ao serviço de qualidade é uma obrigação do Estado e um direito fundamental da população. Estamos comprometidos em mudar essa realidade, e temos trabalhado incansavelmente para atingir a universalização com a coleta e tratamento do esgoto na região metropolitana até 2026, sete anos antes do prazo estipulado pelo novo marco regulatório do saneamento. Estamos investindo quase R$ 4,3 bilhões, o que demonstra que o Governo do Estado tem uma clara visão de futuro e um compromisso em melhorar a vida dos cidadãos. É o maior plano de investimentos da história do estado no setor de saneamento.

No quesito universalização do saneamento,como a Cesan enxerga a chegada das PPPs no setor? O quanto elas aceleram os projetos?

A parceria público-privada representa uma estratégia fundamental para viabilizar a universalização, além de ser uma tendência no setor. Somos referência no Brasil quanto ao tema PPP e sabemos que com os recursos trazidos pelo setor privado, podemos aprimorar nossas atividades, proporcionando soluções mais eficazes para os desafios enfrentados no âmbito do saneamento. O objetivo é melhorar e ampliar a infraestrutura e a eficiência dos serviços, além de buscar inovações tecnológicas e operacionais que resultem em um atendimento mais ágil e abrangente. Hoje a Cesan conta com três contratos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) nos municípios de Serra, Vila Velha e Cariacica. Esse modelo de operações mantém a companhia como uma referência no Brasil no desenvolvimento e na gestão desse tipo de contrato. Os investimentos por meio das PPPs e de subconcessões totalizam R$ 2 bilhões e beneficiam diretamente mais de 1,9 milhão de pessoas. Temos uma unidade organizacional específica para realizar a fiscalização e o cumprimento
desses contratos.

Como a Cesan avaliou casos que chamaram a atenção recentemente, como o despejo de esgoto nas praias de Vitória e Guarapari? A empresa vê algum tipo de “erro”?

A Cesan coleta e trata os efluentes gerados por imóveis. Não há registros de extravasamento de esgoto sanitário nas estações de tratamento ou elevatórias da companhia. Entretanto, os investimentos em tecnologia para melhoria contínua do processo são uma premissa dessa gestão. Anualmente coletamos, tratamos e devolvemos limpo para o ambiente mais de 70 bilhões de litros de esgoto por ano. Essa é a maior contribuição para a despoluição do mar, das praias e dos mananciais do Espírito Santo.
Até poucos anos atrás era impossível transitar pela região central de Vitória com os vidros do carro abertos, por causa do forte odor de esgoto. Graças aos investimentos e à atuação da Cesan hoje essa realidade é outra. A orla central de Vitória passou a ser um local de lazer para a população e de prazerosas caminhadas.

A região entre Camburi e a Curva da Jurema, que antes recebia esgoto, hoje tem praias próprias para banho. Em Guarapari, os investimentos realizados pela Companhia em coleta e tratamento de esgoto também transformaram em poucos anos a qualidade das águas e das areias das praias.

Quais são as principais tecnologias que a Cesan dispõe hoje nas ETEs e ETAs?

Podemos destacar nas ETAs a implantação da flotofiltração, que é um sistema completamente automatizado, que atende às exigências ambientais e visa a remover partículas sólidas, óleos e outras impurezas suspensas na água. Quanto às ETEs, temos a utilização de lodos ativados compactos, que consiste em uma tecnologia de tratamento biológico de água e efluentes. Esses são alguns dentre vários outros recursos tecnológicos que hoje utilizamos.

Durante os quase oito meses à frente da Cesan, o que destaca como principal feito da sua gestão?

Somos uma das empresas de saneamento que mais investe por habitante no país e estamos comprometidos em aprimorar constantemente nossos processos para atender à demanda crescente. Com obras em diversos municípios, a Cesan está trabalhando para garantir serviços de qualidade e acesso ao saneamento para todos os capixabas. Interessa à empresa atender a todo o estado do ES e atuar em outros estados do Brasil, participar de processos licitatórios de forma competitiva com outras empresas do setor.

Para além dos investimentos e obras que conseguimos alavancar, estamos fazendo uma mudança cultural profunda na Cesan, com foco na eficiência operacional. Modernizando a gestão da companhia, valorizando a equipe e reaproximando a empresa dos clientes, que são a razão de existir da Cesan. Também temos feito um esforço de abertura, de aproximação com os prefeitos e vereadores, nossas portas estão sempre abertas para os municípios e por onde passamos, deixamos claro nosso compromisso em atender as
demandas municipais.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA