18.9 C
Vitória
quarta-feira, 19 junho, 2024

Mauro Cid faz pedido de liberdade provisória ao STF

A defesa rechaça a alegação de suposta obstrução de justiça, que motivou a prisão preventiva do tenente-coronel

A defesa do ex-ajudante de ordens da Presidência tenente-coronel Mauro Cid pediu ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, que conceda liberdade provisória ao militar. Cid está custodiado há cerca de um mês no Batalhão da Polícia do Exército, após ser preso por descumprimento de medidas cautelares e obstrução à Justiça.

A detenção de Cid se deu vazamento de áudios em que ele diz que o inquérito da Operação Tempus Veritatis é uma “narrativa pronta”. Nos áudios, o militar também diz que Moraes já tem a sentença dos investigados. Em uma das gravações, Cid afirma que os investigadores ‘não queriam saber a verdade’ sobre a tentativa de golpe de Estado, e sim confirmar uma ‘narrativa pronta’.

- Continua após a publicidade -

Logo após a divulgação das mensagens, Cid compareceu ao Supremo para uma audiência de confirmação dos termos de sua delação premiada. Lá foi informado sobre a nova prisão. Chegou a desmaiar após ouvir a notícia. O episódio também levou a uma reavaliação da homologação da delação premiada do aliado do ex-presidente Jair Bolsonaro

Ao pedir liberdade provisória a Cid, a defesa rechaça a alegação de suposta obstrução de justiça e argumenta que a divulgação dos áudios não impactou a delação premiada do militar, nem as investigações que tramitam no STF.

Quando Cid foi preso, o advogado Cezar Bittencourt, que defende o militar, destacou que as declarações eram um ‘mero desabafo’. O defensor também declarou à época que as os áudios ‘de forma alguma, comprometem a lisura, seriedade e correção’ da delação do ex-ajudante de ordens da Presidência. Com informações de Agência Estado 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA