Lula é condenado por unanimidade e julgamento é encerrado

Condenação de Lula é mantido por relator
O ex presidente Lula é investigado na Operação Lava jato.

O ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado por unanimidade na segunda instância. Julgamento acabou, mas ainda cabem embargos e declaração.

O desembargador do TRF-4 Victor Laus proferiu, por volta das 17h40 nesta quarta (14), o terceiro e último voto a favor da manutenção da sentença de Sérgio Moro contra Lula. O ex-presidente foi condenado por unanimidade  na segunda instância, por causa do caso triplex.

No meio da leitura do voto, que durou quase uma hora e meia, Laus disse que Lula “perdeu o rumo” no exercício do mandato, que não enxergou limites para o poder e tampouco respeitou a dimensão do cargo. Além de ter tomado conhecimento de corrupção na Petrobras e nada ter feito.

O desembargador iniciou a intervenção afirmando que esperou o relatório de Gebran e a revisão de Leandro Paulsen, que foi o segundo desembargador a votar. Os dois conhecem melhor os detalhes do caso triplex em segunda instância.

Desembargador João Pedro Gebran

Antes, o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator do processo, deu voto a favor da sentença de Sérgio Moro. E afirmou que ex-presidente foi articulador de esquema de corrupção. E aumentou a pena de Lula para doze anos e um mês.

O desembargador Leandro Paulsen, revisor do caso, também votou. E abriu sua fala negando que o julgamento de Lula tenha motivações políticas e afirmando que nenhum presidente “está acima do bem e do mal”. O último a votar será o desembargador Victor Luiz dos Santos Laus. Antes disso, porém, Ministério Público e defesa irão se manifestar.

Votação

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, julga hoje (24) recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A apelação é contra a condenação a 9 anos e 6 meses de prisão no caso do triplex do Guarujá – aplicada pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal, em Curitiba (PR).

Manifestação

Cerca de 15 pessoas representantes dos movimentos “Curitiba Contra a Corrupção” e do “Acampamento Lava Jato” estão acompanhando a sessão do julgamento do ex-presidente Lula em frente ao prédio da Justiça Federal, em Curitiba (PA).

Julgamento

Nenhum veredicto anunciado hoje terá caráter definitivo. É que duas questões em jogo. A possibilidade de Lula concorrer nas eleições deste ano e de ser preso. Estarão sujeitas a recursos do petista, que responde a outros oito processos na Justiça.

O placar do julgamento é crucial. Se perder por 2 votos a 1, o petista terá direito a entrar com embargos infringentes. Eles podem arrastar a decisão final por meses e até reverter o resultado. Um revés por 3 a 0 limitaria a defesa aos embargos de declaração, que não alteram a sentença e podem ser julgados em menos de um mês.

Condenação

O ex-presidente Lula foi condenado a 9 anos e seis meses de prisão, por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em julho de 2017. A sentença foi dada em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato.

Outras informações sobre o caso acompanhe na ES Brasil. Com informações da Agência Brasil e BBC Brasil. Acompanhe outras informações pela ES Brasil.

Conteúdo Publicitário