28.3 C
Vitória
domingo, 19 maio, 2024

Invasões do MST chegam a 28 áreas em 11 Estados

Segundo o Movimento Sem Terra (MST), há 40 ações em andamento em todo o país, que abrangem invasões, acampamentos e demais mobilizações

As invasões realizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), desde segunda-feira, 15, alcançaram 28 áreas em 11 Estados, segundo dados do próprio movimento. As invasões são registradas em Sergipe, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Norte, Bahia, Pará, São Paulo, Goiás, Ceará, Rio de Janeiro e no Distrito Federal. Os atos, de acordo com o movimento, fazem parte da Jornada Nacional de Luta em Defesa da Reforma Agrária, que ocorre neste mês, conhecido como Abril Vermelho, em repúdio ao massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará, em 17 de abril de 1996, quando 21 trabalhadores rurais ligados ao MST foram assassinados pela Polícia Militar.

O MST reivindica as áreas invadidas, as quais considera improdutivas, para assentamento e reforma agrária. O movimento informou que há 40 ações em andamento, alcançando o total de 16 Estados e o Distrito Federal, o que inclui invasões, acampamentos, assembleias e mobilizações. De acordo com o movimento, há mais de 22 mil famílias mobilizadas nos atos.

- Continua após a publicidade -

Na manhã desta quarta-feira, 17, cerca de 200 militantes do movimento invadiram a sede do Instituto Nacional de Colonização e da Reforma Agrária (Incra) em Campo Grande (MS), reivindicando áreas para assentamento. O movimento também invadiu a sede da Secretaria de Educação do Ceará, com cerca de 500 militantes. O pleito do MST no Estado é por melhorias na educação do campo. No Estado, uma área de 800 hectares em Crateús também foi invadida e o MST reivindica a desapropriação de 5 mil hectares para destinação à reforma agrária.

A fim de frear as invasões do chamado “Abril Vermelho” do MST, nesta semana, o governo federal lançou o Programa Terra para Gente, para acelerar o assentamento de famílias no País. O programa prevê a inclusão de 295 mil famílias no Programa Nacional de Reforma Agrária, sendo 74 mil assentadas e 221 mil reconhecidas ou regularizadas em lotes de assentamentos existentes até 2026. O MST afirmou, em nota, que as iniciativas do governo voltadas à reforma agrária são “insuficientes” e que há 70 mil famílias vivendo em acampamentos. Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA