20.9 C
Vitória
quarta-feira, 12 junho, 2024

Indústria capixaba foi a segunda que mais cresceu em 2023

ES superou a média nacional e teve alta de 11,1% na produção da indústria, segundo PIM-PF do IBGE

Por Gustavo Costa

Impulsionada por um setor extrativo que teve o terceiro melhor desempenho da sua história, a indústria capixaba foi um dos destaques da Produção Industrial Mensal (PIM-PF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e analisados pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

- Continua após a publicidade -

Registrando alta de 11,1%, o Espírito Santo ficou atrás apenas do Rio Grande do Norte (+13,4%) e superando, com folga, a média do nacional (+0,2%). O levantamento foi divulgado nesta quinta-feira (8).

No período entre janeiro a dezembro, a indústria extrativa capixaba, que abrange as produções de petróleo e minério de ferro, cresceu 20,5%, chegando ao pódio da série histórica da PIM-PF, iniciada em 2002. Somente nos anos de 2010 (59,9%) e 2011 (29,6%) a indústria extrativa alcançou resultados melhores.

“Estamos acompanhando desde o ano passado os bons resultados da indústria de petróleo e gás capixaba. Tivemos a retomada do FPSO Cidade de Anchieta, que aumentou a produção em mar. Além disso, o Plano de Desinvestimento da Petrobras e os estímulos regulatórios da ANP contribuíram para a diversificação de empresas atuantes no Espírito Santo, o que também resultou na recuperação da produção”, falou a presidente da Findes, Cris Samorini.

Segundo Samorini, os números traduzem o grande momento da indústria do Espírito Santo no cenário nacional. “Nos tornamos atrativos para empresas de outros estados e até mesmo de outros países por nosso empenho em melhorar o ambiente de negócios. Além disso, temos muitas empresas expandindo as suas plantas industriais em solo capixaba por acreditarem no potencial do Estado”, falou ela.

Já a indústria de transformação registrou queda em 2023 (-3,6%), embora metade das atividades que a compõem tenham tido um bom desempenho: papel e celulose (9,4%) e produtos alimentícios (0,6%). As duas outras, no entanto, não tiveram um bom ano em 2023, com fabricação de produtos não metálicos ficando com -12,7%; e metalurgia com -4,2%.

O grande desempenho da indústria do Espírito Santo também reflete os investimentos que serão feitos no Estado nos próximos anos. Segundo a Bússola do Investimento do Observatório da Indústria da Findes (que foi atualizada em 22 de janeiro), estão mapeados, até 2028, um total de 366 projetos, que somam R$ 57,4 bilhões em investimentos para o Estado. “A indústria representa 87% de todo o valor a ser investido no Estado (R$ 50,1 bilhões)”, frisou Samorini.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA