21.9 C
Vitória
terça-feira, 19 outubro, 2021

Guedes defende “voucher” para aluno cursar universidade

Ministro da economia disse que houve massificação do Fies, que deixou os alunos endividados. Ele defende “voucher” para aluno cursar universidade

Por Samantha Dias

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu a adoção de um “voucher” para aluno cursar universidade. Funcionaria como uma espécie de vale com valor determinado e que pode ser gasto apenas por razões específicas para estudantes de baixa renda no lugar do crédito estudantil via Fundo de Financiamento do Estudante do Ensino Superior (Fies).

“Você não pode pegar uma criança que teve base precária e colocar na universidade, endividando ela”, disse Guedes. “Uma faculdade caça-níquel tem coragem de dar crédito a uma pessoa assim. Mas em vez do Fies, tínhamos de ter um voucher.”

O ministro pontuou que, ao se endividar, o jovem já “nasce” para o mercado de trabalho endividado. “Como ele vai pagar?”, questionou. “Houve massificação do Fies que deixou um monte de meninos endividados.”

Nesta quarta-feira (7), Guedes disse que o dólar em níveis mais elevados ante o real no Brasil está favorecendo a população mais pobre em várias partes do País, em função do turismo interno. “Hoje, com dólar a R$ 5, as famílias humildes do Brasil inteiro estão se beneficiando. As famílias ricas, em vez de viajar para fora, estão viajando para dentro”.

Guedes também se defendeu de acusações de que teria criticado a possibilidade de viagens de empregadas domésticas para a Disney em um ambiente de dólar mais baixo; e de que teria estimulado a doação de sobras de alimentos aos pobres. “Existem as sobras limpas de alimentos, que é um termo técnico. E eu sou acusado de falar sobre sobras de comida. Isso é a política do ódio, da intolerância.”

Com informações da Agência Estado

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade