23.3 C
Vitória
domingo, 21 abril, 2024

GP da Inglaterra se prepara para possível protesto

No GP britânico da temporada passada, os ativistas correram para dentro do circuito pouco após uma bandeira vermelha ser levantada

Palco de um protesto realizado por ambientalistas no ano passado, o GP da Inglaterra de Fórmula 1 está alerta para a possibilidade de uma nova manifestação neste final de semana, quando ocorre a edição desta temporada da etapa britânica. Durante a corrida de 2022, a pista foi invadida pelo grupo “Just Stop Oil”, que atua no Reino Unido e faz pressão sobre o governo para interromper o licenciamento e a produção de novos combustíveis fósseis.

O grupo continua usando grandes eventos esportivos da Inglaterra para espalhar sua mensagem, como fez nesta semana, com invasões em dois jogos de Wimbledon. Em ambos os casos, exibiram a frase “Just Stop Oil” estampada em camisetas e jogaram papel picado, peças de quebra-cabeças e confetes sobre a grama das quadras de tênis.

- Continua após a publicidade -

No GP britânico da temporada passada, os ativistas correram para dentro do circuito pouco após uma bandeira vermelha levantada em razão de um acidente logo na primeira volta. Eles passaram perto dos carros, em velocidade mais baixa do que o normal por causa da bandeira vermelha, e sentaram-se na pista, mas foram retirados.

Identificados como autores do protesto, Louis McKechnie, David Baldwin, Emily Brocklebank, Alasdair Gibson, Bethany Mogie e Joshua Smith foram presos. Em julgamento realizado em fevereiro, foram condenados por perturbação à ordem pública, mas as penas de prisão foram convertidas em serviços comunitários.

O heptacampeão Lewis Hamilton, que costuma se engajar em diferentes causas, diz apoiar a luta do “Stop Oil”, mas pediu que ninguém coloque a vida em risco. “Na minha perspectiva e da minha equipe, nós estamos muito, muito focados na sustentabilidade. Nós acreditamos no que as pessoas estão lutando e estamos fazendo mudanças no esportes. Mas segurança é a chave, não queremos nos colocar em risco e que ninguém se coloque em risco”, afirmou.

Lando Norris, da McLaren, mostrou preocupação com a possibilidade de repetição do episódio. “Se isso ou algo como isso acontecer no paddock, pode causar diferentes cenários, mas isso não pode ocorrer em uma pista de corrida porque coloca a vida das pessoas em perigo”, disse o piloto britânico. Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA