Fiscalização de veículos a gás será otimizada

O proprietário do veículo tem um prazo de 30 dias para regularizar o veículo modificado (Fotografia - Fiat)

Ipem-ES e Detran|ES firmam convênio para otimizar fiscalização de carros alterados

Parceira entre o Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran|ES) e o Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Espírito Santo (Ipem-ES) deve melhorar a fiscalização de veículos alterados no Estado. O convênio de cooperação técnica de compartilhamento de informações e banco de dados entre os órgãos foi assinado na última terça-feira (21).

Com a integração dos dados, toda modificação feita em veículos registrados no Estado nas oficinas credenciadas ao Ipem-ES serão informadas ao Detran|ES. O objetivo é que o órgão de trânsito aprimore o acompanhamento dos veículos que fazem a instalação do sistema de Gás Natural Veicular (GNV) e possa inserir restrições administrativas nos prontuários desses veículos caso a regularização não seja feita.

A partir da modificação veicular realizada na oficina e informada ao Detran|ES pelo Ipem-ES, o proprietário do veículo tem um prazo de 30 dias para regularizar o veículo em uma Ciretran ou Posto de Atendimento Veículo (PAV) no Estado, incluindo a informação no documento do veículo.

Caso o procedimento não seja cumprido, o Detran|ES irá bloquear o veículo no sistema e o proprietário ficará impedido de realizar qualquer serviço no órgão de trânsito, como transferência ou mesmo o licenciamento anual, e o veículo poderá ser removido ao pátio do Detran|ES caso seja abordado em uma fiscalização de trânsito.

O diretor geral do Detran|ES, Givaldo Vieira, considera que, com essa medida, os órgãos se antecipam aos riscos de segurança que uma instalação veicular inadequada pode acarretar e vão orientar os proprietários de veículos sobre o procedimento correto a ser seguido.

“A utilização do GNV é econômica, mas se a instalação não seguir as normas de segurança há riscos que devem ser minimizados para proteger os passageiros daquele veículo e a sociedade. Percebemos que alguns proprietários fazem a alteração por conta própria e não regularizam o veículo. Daí a importância dessa cooperação técnica, que vai permitir que o Detran|ES acompanhe os veículos que fazem o procedimento e não regularizam a documentação no órgão, conseguindo de forma mais efetiva cobrar essa regularização e garantir a segurança”, destaca.

Atualmente, 38.263 veículos estão registrados no órgão para utilização de Gás Natural Veicular (GNV) como combustível no Espírito Santo. O Detran|ES estima que outros 25 mil possam ter o combustível instalado de forma irregular, sem atender aos critérios de segurança exigidos. O órgão vai disponibilizar de forma online quais os veículos que têm o GNV e a regularidade deles para consulta.


LEIA MAIS
Conteúdo Publicitário