24 C
Vitória
quinta-feira, 13 agosto, 2020

O exemplo cooperativista para enfrentar crises

Leia Também

TSE aprova resoluções com novas datas para o processo eleitoral

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (13) os ajustes em suas resoluções com as novas datas dos eventos eleitorais e votações das eleições...

Distribuição de máscaras a estudantes da rede estadual do Amazonas gera polêmica

A compra foi firmada no dia 4 entre Secretaria de Estado de Educação e Desporto do Amazonas (Seduc-AM) com a empresa Nilcatex Têxtil Ltda, sediada no Mato Grosso do Sul

Investimento em inovação pode chegar a R$ 10 milhões

O Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) anunciou oportunidades de negócios para investimentos de olho na introdução de práticas inovadoras, no incentivo e...

Neste sábado (04), é comemorado o Dia Internacional do Cooperativismo

O nascimento do cooperativismo, cujo dia internacional é comemorado neste sábado (04), tem intrínseca relação com o momento pelo qual estamos vivendo. Foi a partir da vivência de crises que esse movimento – baseado em pessoas e no qual o lucro extraído do trabalho delas é controlado de forma democrática – surgiu como modelo de enfrentamento a momentos adversos.

Hoje, portanto, avaliam cooperados, essa é uma forma cada vez mais eficaz para avançar em momentos de crise, ainda mais num mundo que se desenha cada vez mais colaborativo. “A grande força do cooperativismo cresce nas dificuldades, pois na crise as pessoas se unem ainda mais para vencer as dificuldades de forma coletiva”, diz o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Frederico Perius.

Foi assim que as cooperativas gaúchas fizeram para enfrentar o atual momento. Desde meados de março até agora, segundo um levantamento da Ocergs, elas somaram R$ 88 milhões em ações para mitigar os efeitos da pandemia. Na esteira dos benefícios, enfileiraram auxílios que contemplaram desde ranchos e apoio na produção de máscaras, passando por adiantamento de sobras a produtores e até auxílio financeiro.

Esse modelo societário está em crescimento na Serra. O número de cooperativas na região se manteve em 54 entre os anos de 2018 e de 2019, mas neste mesmo período de tempo viu o número de associados crescer 3,86%, passando de 331.148 para 343.948 – os números parciais deste ano, devido à pandemia, não foram fechados.

O presidente da cooperativa Santa Clara, Rogerio Bruno Sauthier. – Foto:Andryos Marchetti da Rosa/Alba Arte

O presidente da cooperativa Santa Clara, Rogerio Bruno Sauthier, também acredita que os momentos de crise tornam ainda mais interessante o modelo cooperativo. “A soma das forças de trabalho em condições frágeis, facilita e potencializa a chance de driblar as adversidades do mercado, tanto pela quantidade de pessoas envolvidas no processo de produção como também pela barganha de descontos ou outros benefícios que são oferecidos a este molde de gestão”, opina.

É esse compromisso em ser fiel ao associado em todos os momentos que tem norteado as ações das cooperativas no combate ao surto da covid-19, como tem acontecido na Cooperativa Vinícola Garibaldi. “Atendemos aos interesses das pessoas envolvidas nos negócios da cooperativa, então primeiro atuamos no sentido de preservar a saúde delas, com todos os protocolos, e junto com isso a preservação dos empregos, pois nossa preocupação é o cuidado com as pessoas”, analisa o diretor administrativo da cooperativa, Alexandre Angonezi.

Para ele, esse interesse humano integra os valores da cooperativa para manter o negócio sustentável e, assim, perpetuá-lo como fonte de renda às famílias associadas. “Não adianta sermos viável economicamente e não preservar as pessoas, não cuidar da saúde, não cuidar do meio ambiente. Nós pensamos pelo bem de todos que estão envolvidos com os negócios da cooperativa, por isso trabalhamos para que os sócios permaneçam nas suas atividades com qualidade de vida e bom rendimento pelo que produzem, assim cuidamos da saúde, das pessoas, dos empregos e da sociedade ao fazer o que é correto”, diz Angonezi.

Nestes tempos de pandemia, o cuidado também é com os outros. Na Cooperativa Santa Clara, por exemplo, uma campanha de doação de leite arrecadou 50 toneladas do alimento, que foram distribuídas a 24 entidades gaúchas.

Talvez seja a força da união, exemplificada em ações como essa e no dia a dia das cooperativas, que mostram como esse modelo se mantém forte nos dias atuais, mais de 130 anos depois da primeira cooperativa surgir no Brasil. E esse é um grande motivo para comemorar, neste sábado, o Dia Internacional do Cooperativismo, instituído em 1923 e oficializado desde 1994. “Em tempos de concorrência forte, o cooperativismo se mostra como uma grande alternativa para amenizar custos, trocar serviços, comprar em grande escala, entre outros. O sistema cooperativo sempre foi um excelente modelo de negócios e a tendência é que seja ainda mais valorizado devido ao seu poder de sustentabilidade”, observa Sauthier.

Sicoob-ES

No Estado, colaboradores Sicoob-ES estão engajados em atividades para ajudar hospitais, entidades filantrópicas e projetos sociais no Espírito Santo, no Rio de Janeiro e na Bahia, onde a instituição também atua.

Mais de 45 mil pessoas, em 65 municípios, serão beneficiadas por meio dos projetos que integram as celebrações do Dia de Cooperar (Dia C), comemorado anualmente no primeiro sábado de julho por cooperativas de todo o país.

A superintendente institucional do Sicoob ES, Sandra Kwak, destaca que o interesse pela comunidade é uma das premissas que compõem os fundamentos de atuação da instituição. “Nós temos uma atuação contínua voltada à responsabilidade social. No Dia C, essas ações são intensificadas em uma atuação conjunta e a integração dos colaboradores para gerar impactos nos locais em que estamos presentes”, pontua.

As ações serão realizadas até o dia 15 de julho, com a participação de 1,6 mil voluntários.

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

ESB 179 Digital
Continua após publicidade

Fique por dentro

Bater ponto de trabalho a distância vira questão com pandemia

A Reforma Trabalhista de 2017 regulamenta o teletrabalho como uma prestação de serviços fora das dependências do empregador

Setor de serviços cresce 5% de maio para junho, diz IBGE

O volume de serviços no país cresceu 5% em junho na comparação com o mês anterior. A alta veio depois de quatro quedas consecutivas...

Setores mais afetados pelo distanciamento social seguem deprimidos, diz BC

Ao avaliar o futuro da atividade econômica, o BC repetiu a ideia de que "a incerteza sobre o ritmo de crescimento da economia permanece acima da usual

Safra deste ano deve ser 3,8% superior à de 2019, prevê IBGE

A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar o ano de 2020 em 250,5 milhões de toneladas. Com informações da Agência BrasilCaso a...

Vida Capixaba

Durante a pandemia, a pele também precisa de cuidados

Entre o medo do contágio e a vontade de que tudo volte à normalidade, a pandemia despertou nas pessoas uma maior preocupação e cuidados...

O Pequeno Príncipe traz poesia às telas em espetáculo ao vivo

Conhecido do público infantil e adulto, o conto ‘O Pequeno Príncipe’, do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, sai dos livros e chega aos palcos,...

Bike se populariza em tempos de coronavírus

Para fugir das lotações, dos atrasos e riscos de contaminação do transporte público, muitas pessoas se tornaram adeptas das bicicletas neste período Que táxi, que...

31ª Dez Milhas Garoto é adiada para 2021

Com a insegurança em relação a propagação do vírus do Covid-19 pelo Brasil, os principais players do mercado de eventos, feiras e congressos do...
Continua após publicidade