21.9 C
Vitória
sexta-feira, 21 junho, 2024

CEO da Superliga Europeia não vê confiança abalada e acredita em realizar torneio

“O parecer do juiz reconhece que qualquer entidade pode organizar campeonatos, e que Uefa e Fifa não têm essa exclusividade”, afirmou Reichart

Apesar do parecer favorável do advogado-geral do Tribunal de Justiça da União Europeia, Athanasios Rantos, à Fifa e à Uefa, a Superliga Europeia ainda confia na realização de um torneio independente. O chefe executivo do projeto, Bernd Reichart, ao lado dos presidentes de Real Madrid, Florentino Pérez, e do Barcelona, Joan Laporta, garantiu, durante a Conferência “Nova Economia” que a competição é o futuro do futebol europeu.

“A Superliga não está morta, está muito viva e é o futuro. Desde outubro, e nas últimas semanas, falei com mais de 30 clubes, que se tinham afastado do projeto por temerem sanções. Mas cada vez têm menos medo: sabem que têm de ser donos do seu próprio destino”, disse Reichart.

- Continua após a publicidade -

Segundo Rantos, as equipes que aderirem à liga poderão receber sanções das entidades, conforme as leis europeias. No entanto, Reichart se apoia na afirmação do advogado que libera a criação da Superliga.

“O parecer do juiz reconhece que qualquer entidade pode organizar campeonatos, e que Uefa e Fifa não têm essa exclusividade. Na Espanha, dois em cada três jovens até aos 25 anos querem a Superliga. Os jovens devem ver 90 minutos de futebol num jogo, não resumos no ‘TikTok'”, afirmou Reichart.

Luís Alonso, advogado que representa a A22 Sports Management, empresa por trás da Superliga, também vê com otimismo a situação “A União Europeia diz que é legal jogar, criar e participar de outras ligas. E se o ‘caso Bosman’ revolucionou a livre circulação de jogadores, que a Superliga represente agora a liberdade para os clubes organizarem os torneios. Até aqui, Uefa e Fifa restringem essa criação, mas a livre competência do esporte é um dos pilares da própria União Europeia.”

Um novo parecer que autorizará, ou não, a realização da Superliga deve sair em meados de abril. Até lá, Uefa e Fifa estarão à frente dos torneios europeus. Os clubes que já aderiram à nova liga são: Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Tottenham, Atlético de Madrid, Barcelona, Real Madrid, Inter de Milão, Juventus e Milan, totalizando 12 agremiações.

A Federação Internacional de Jogadores de Futebol Profissionais (FIFPRO, sigla em inglês) defende a criação da Superliga e a não penalização a clubes e jogadores que optarem por isso, através de David Aganzo, responsável pela Associação de jogadores de Futebol da Espanha (AFE).

Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA