25.9 C
Vitória
sábado, 4 dezembro, 2021

Artesanato e agronegócio capixabas estão presentes na CasaCor 2021

O evento vai até o dia 28 de novembro e o acesso aos espaços de Artesanato e Empório são gratuitos

Por Munik Vieira

O Espírito Santo é rico em diversidade, desde a agricultura familiar até o artesanato. Cada um dos 78 municípios tem suas peculiaridades, muitas vezes representadas em produtos e alimentos característicos de uma cidade ou região. Os visitantes da CasaCor 2021 podem apreciar um pouco dessas particularidades ao conhecerem os espaços de visitação apoiados pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae/ES), que estão expondo tanto produtos do agronegócio familiar como do artesanato capixabas.

Cafés, carne de sol, chocolates, queijos entre outros produtos das terras capixabas estão disponíveis para venda nas estantes do Empório Capixaba. “Este é um espaço de valorização do agronegócio capixaba. Nossos produtos são de ótima qualidade e esta é uma oportunidade para que visitantes do Espírito Santo e também de outros estados conheçam o nosso potencial nesse segmento”, destaca o analista do Sebrae/ES, Adriano Matos.

Os queijos da agroindústria Laticínios Lorena, de Fundão, estão entre os produtos expostos no Empório Capixaba e de acordo com o empreendedor Leonardo Totola a expectativa não é focar em vendas, e sim em conquistar novos clientes. “Termos sido convidados para participar do Empório Capixaba na Casa Cor, organizado pelo Sebrae, foi uma surpresa e felicidade muito grandes para todos nós do Laticínios Lorena. É um sinal de que estamos no caminho certo, além de ser uma oportunidade ímpar de apresentar nossa empresa e nossos produtos a um novo público”, destaca o empreendedor.

O Empório Capixaba está com aproximadamente 24 expositores, todos de origem familiar, representando as produções locais. No espaço também serão realizados jantares degustação usando como ingredientes os produtos expostos.

Já em outro ambiente, no Espaço Artesanato, são 18 artesãos capixabas com aproximadamente 740 itens à venda, trazendo aspectos importantes da cultura capixaba em materiais como rochas ornamentais, cerâmica, couro, madeira, retalhos, entre outros.

O grupo Barra de Renda, da Barra do Jucu, em Vila Velha, está aproveitando o espaço para promover o resgate cultural da atividade de rendar que é uma tradição da região. O ofício das rendeiras estava praticamente extinto, e com o apoio da artesã Mariza Vieira Gervásio, bisneta de rendeira, está sendo resgatado pelo grupo idealizado e coordenado por Regina Maria Ruschi.

“O nosso artesanato é de iconografia capixaba. Participar da Casa Cor é uma forma de divulgar essa cultura, que é um ofício tradicional da Barra do Jucu, além de abrir um espaço no mercado, trazendo sustentabilidade para esse grupo de mulheres que está resgatando esse trabalho”, destaca a coordenadora.

Segundo o analista do Sebrae/ES Alisson Lepaus, “os produtos selecionados para participação no evento têm uma relação direta com os capixabas e trazem o resgate cultural através da ancestralidade. Além disso, este espaço representa uma oportunidade para a recuperação de vendas e captação de novos clientes”, ressalta.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade