26.9 C
Vitória
domingo, 28 novembro, 2021

Crise de ansiedade: entenda o transtorno que afeta a ex-BBB Juliette

Imagina ter sua vida virada de ponta cabeça da noite para o dia? Foi exatamente isso que aconteceu com Juliette Freire, a “rainha dos cactos” e campeã do BBB 21.

Por Munik Vieira

Com 1,5 milhão na conta e quase 30 milhões de seguidores no Instagram, a paraibana afirmou estar assustada com a fama após o fim do programa e relatou sofrer crises de ansiedade. Para isso, ela tem tido o acompanhamento psicológico duas vezes por semana. As declarações forem feitas em entrevista ao canal Hugo Gloss, no Youtube.

Juliette disse que não tem conseguido descansar e nem se alimentar direito por conta da ansiedade. “Não tenho dormido e nem comido direito. Comecei a ter problema de ansiedade no início da pandemia, mas não era algo patológico, a se tratar. Agora, está muito intenso, chego a me tremer toda. Tenho medo de tudo. Sinto medo de toda essa pressão que virou a minha vida”, confessou.

Diferente de Juliette Freire, muitos não conseguem prestar atenção nos alertas que antecedem uma crise de ansiedade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o país com o maior número de pessoas que sofrem com o transtorno no mundo: 9,3% da população.

Entretanto, não é uma tarefa fácil conseguir entender sobre a crise, mas um psicólogo pode te ajudar.

Entenda os sinais

Para o pós-doutor em psicologia Diemerson Saquetto, a ansiedade é um sentimento universal, mas senti-la em excesso pode resultar em prejuízos ao nosso bem-estar.

“Muitas vezes, as crises manifestam-se em sintomas físicos e intensos, então é preciso estar sempre atento. Alguns dos sinais que antecedem uma crise são taquicardia, tremor, falta de ar, enjoo, suor em excesso”, destaca.

O psicólogo ainda dá dicas de como controlar essas crises. “Quando uma crise chegar, a primeira coisa que devemos fazer é tirar o foco dos sintomas que estão atingindo nosso corpo. Respire de forma lenta e profundamente. Quando respiramos, a tendência é sentir um leve relaxamento. Procure respirar estufando o abdômen, puxando, segurando e expirando todo o ar de seus pulmões. É necessário sempre estar confortável com o tempo da respiração”.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade