21.8 C
Vitória
quinta-feira, 28 maio, 2020

Alimentos orgânicos, opção de vida e de mercado

Leia Também

Como montar um cantinho lúdico e organizado para as crianças

Com as crianças em casa em tempo integral, as famílias se deparam com o desafio de manter a rotina de atividades escolares e brincadeiras.

Governo e instituições firmam parceria e restauram 20 respiradores

Os respiradores consertados serão levados às unidades hospitalares de referência no tratamento da Covid-19. Segundo o governo do Estado, a restauração dos equipamentos não gerou custos administrativos.

Maia diz que auxílio emergencial deve ser prorrogado, mas teme redução de valor

O presidente da Câmara dos Deputados afirmou que há um embate explícito dentro do governo, e do próprio Parlamento, entre priorizar investimentos públicos e privados.

Orquestra Sinfônica Sul Espírito Santo realizará apresentações on-line

A primeira apresentação da série "[email protected] Sinfônica In Live", será na próxima quinta-feira (04), a partir das 20h, pelas mídias sociais do projeto social Casa Verde.

A produção de alimentos saudáveis já ocupa 42 milhões de hectares no mundo e cresce à taxa de 4,5% ano

A agricultura orgânica é um modelo de produção caracterizado por não utilizar fertilizantes sintéticos, agrotóxicos, sementes modificadas, reguladores de crescimento animal e intensa mecanização das atividades, visando a reduzir os impactos ambientais, além de cultivar produtos alimentícios mais saudáveis.

Os últimos levantamentos sobre a agricultura orgânica no mundo e no Brasil apontam para um setor com enorme poder de crescimento, que não deve mais ser tratado como nicho de mercado. Em todo o planeta, esse modo de produção de alimentos saudáveis já ocupa 42 milhões de hectares, cresce à taxa de 4,5% ano, o dobro do crescimento dos alimentos tradicionais, e movimenta cerca de 80 bilhões de dólares de produtos certificados.

Segundo o Instituto de Pesquisa de Agricultura Orgânica (FiBL), o Brasil é quinto país em área cultivada com orgânicos. Austrália ocupa a primeira posição, seguida de União Europeia, Argentina e Estados Unidos. Um detalhe: nosso vizinho sul-americano tem 3,1 milhões de hectares de lavouras orgânicas, três vezes mais que o nosso país.

Contudo, segundo dados da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) ) e do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), nos últimos cinco anos, o Brasil liderou o crescimento da produção orgânica, com a incrível taxa de 30% ao ano, índice quase sete vezes maior que a média mundial, e mais do que o dobro do percentual do Japão, segundo colocado neste ranking.

Contribuiu para essa performance, a Lei que regulamenta o setor, criada no Brasil em 2003, mas que somente em 2011 adequou-se aos padrões exigidos pela União Europeia. Assim, produtos nacionais estão em conformidade e alcançaram rapidamente o mercado internacional.

Adicionalmente, a ampliação da oferta e do consumo de alimentos orgânicos também foi influenciada pelos diversos estudos científicos que associam determinadas doenças humanas ao consumo de alimentos processados, embutidos e aromatizados. Há ainda o receio da população com relação ao uso de agrotóxicos nos alimentos, principalmente em frutas, verduras e legumes.

Segundo pesquisas de fontes como Qualibest e Bio Brasil Fair, quase ¼ dos brasileiros já adquire orgânicos com alguma frequência e 93% consideram o consumo desses produtos como importante ou muito importante. Preço, para 37%, e disponibilidade (28%) são os principais fatores que ainda limitam o consumo no Brasil.

Ainda são raros os produtores que conseguem produzir em larga escala, fator limitante para que supermercados e redes atacadistas invistam com maior intensidade na distribuição da produção orgânica. E boa parte dos consumidores prefere suprir suas necessidades alimentícias de uma vez só, num único lugar. O mais comum: as prateleiras dos supermercados.

Todos os cenários apontam para o Brasil ampliar a produção de alimentos orgânicos, tanto para suprir as necessidades do mercado interno quanto a do externo. Há muito espaço para avançar. Temos 240 milhões de hectares cultivados, e menos de um milhão com agricultura orgânica. Mais do que uma oportunidade, uma opção de vida e de mercado!

Enio Bergoli é Diretor Geral do DER/ES e Coordenador de Política Agrícola da Sociedade Espírito-Santense de Engenheiros Agrônomos (SEEA)

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

esbrasil_176
Continua após publicidade

Fique por dentro

Pesquisa revela que empresas capixabas de TI apostam na superação da crise causada pela pandemia

O foco foi identificar as principais dificuldades, sugestões e expectativas diante os desafios que a pandemia, provocada pela Covid-19, impôs ao mercado de tecnologia do Espírito Santo.

Marcos Troyjo é eleito presidente do Banco do Brics

Troyjo sucederá o indiano Kundapur Vaman Kamath, primeiro a comandar o NDB, criado na reunião de cúpula do Brics de Fortaleza, em 2014

Aneel tenta reduzir reajustes tarifários para ex-distribuidoras da Eletrobras

Os contratos de concessão dessas distribuidoras, que foram vendidas em leilões realizados há dois anos, previa a possibilidade de que os novos operadores pedissem Revisão Tarifária Extraordinária (RTE) para reconhecer os investimentos realizados na área de atuação das empresas

Com crise, mercado financeiro projeta rombo fiscal recorde este ano

Dados divulgados nesta segunda-feira, 25, pelo Banco Central mostram que a expectativa de déficit primário do setor público para o ano subiu de 7,80% para 8,00% do Produto Interno Bruto (PIB).

Vida Capixaba

Golden Tulip Porto Vitória inaugura espaço exclusivo para lives

O objetivo é disponibilizar infraestrutura tecnológica de ponta para encontros virtuais, como shows e transmissões corporativas, além de ensaios de grupos musicais. 

“Blitz do Bem” entrega kits de limpeza e máscaras, na Serra

Nesta quarta-feira (27), uma equipe do Departamento de Operações de Trânsito (DOT), em parceria com a Guarda Civil Municipal e a Secretaria de Saúde do município, distribuiu kits de limpeza e máscaras de proteção.

Observatório online ajuda a fortalecer a gastronomia regional

Com coordenação e execução da instituição, o Observatório busca realizar ações de pesquisa e de documentação sobre as cadeias produtivas, os sistemas alimentares, e demais temas referentes à culinária.

Robô virtual de Vila Velha oferta cursos gratuitos pelo Whatsapp

O primeiro curso divulgado é o “Empreenda Vila Velha Digital”, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Semdec).
Continua após publicidade