26.8 C
Vitória
sábado, 28 março, 2020

Airbnb: condomínios podem proibir a locação de imóveis por aplicativo?

Leia Também

Chega a 111 mortos e quase 4 mil casos de covid-19 no Brasil

Balanço deste sábado (28) acrescentou 22 mortes e 487 casos confirmados ao total anterior. Governo vai proibir entrada de estrangeiros no país durante 30...

Governo autoriza ações de telemedicina em caráter temporário

A telemedicina foi lierada temporariamente durante a pandemia instalada no mundo e, mais recentemente, no Brasil pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).  

Consumo de internet aumenta 25% durante isolamento social

Por conta do isolamento social, o consumo de internet aumentou consideravelmente durante o mês de março no mundo inteiro, inclusive no Brasil e no Espírito Santo.

Festival promove apresentações de artistas nas mídias sociais

O Festival Fico em Casa, uma ideia que permite ao internauta a contemplar apresentações de nomes do rock, indie, samba, funk, MPB e muito mais.

Especialista orienta condomínios a criarem regras internas para disciplinar o convívio com locatários do aplicativo, ampliando a segurança e garantindo o bom uso de áreas comuns dos imóveis

Com a popularização do uso de aplicativos e a crise que assola o Brasil, novos negócios têm surgido, garantindo oportunidade de renda para várias famílias. O Airbnb, por exemplo, tem sido uma dessas soluções.

A plataforma permite a locação de cômodos ou imóveis inteiros por temporada. Segundo o aplicativo, foram contabilizadas 3,8 milhões de chegadas de hóspedes do Airbnb no Brasil em 2018, um aumento de 71% comparando com 2017.

Esse crescimento tem gerado polêmica e resistência da administração de condomínios residenciais. Alguns moradores questionam, principalmente, a falta de segurança gerada pela alta rotatividade dos contratos de locação pelo aplicativo. Mas o condomínio pode proibir a prática do Airbnb?

Advogado e especialista em Direito Imobiliário, Carlos Augusto da Motta Leal, explica que alugar o imóvel pelo aplicativo pode descaracterizá-lo exclusivamente para uso residencial. – Foto: Divulgação

O advogado e especialista em Direito Imobiliário, Carlos Augusto da Motta Leal, explica que a polêmica acontece porque a novidade desfigura a locação por temporada com locações curtíssimas, de alta rotatividade e em imóveis mobiliados e equipados. Essa atividade pode ser interpretada como de hotelaria, o que tem natureza comercial e descaracteriza o uso do imóvel exclusivamente residencial.

“O debate, posto na interpretação da Lei do Inquilinato (nº 8245/91) frente a esta moderna forma de ocupação provisória, é para se definir se o Airbnb, por exemplo, é um meio de locação residencial ou de hotelaria. Trata-se de uma nova ótica de uso do imóvel. A tecnologia chega, a sociedade se movimenta e o Direito, que é uma ciência dinâmica, tem que se adequar e estabelecer os limites. Como a Lei do Inquilinato não previa essa novidade, a Justiça tem sido acionada para interpretar e disciplinar os casos que têm surgido”, afirma o especialista.

Definir regras é importante

Os condomínios residenciais podem vedar, em Convenção de Condomínio, as atividades comerciais nas unidades autônomas ou áreas comuns. A Assembleia de Condomínio pode, portanto, regular o direito de locação por curtíssimo prazo, e, inclusive, a depender da situação, considerá-la incompatível por entender que tem contornos de hotelaria, podendo gerar um impasse entre os moradores e a judicialização a respeito do uso do Airbnb.

“Como o direito à locação do imóvel é inerente ao direito de propriedade, o debate sobre a possibilidade ou não de locação por curtíssimo período de tempo, por aplicativo, continuaria”, ressalta Motta Leal.

Por isso, a orientação do especialista é o bom senso. “O ideal é que a comunidade condominial alcance o acordo no sentido de não proibir, mas de regular este tipo de locação, implementando mecanismos de segurança como comunicação prévia, cadastro e identificação, limites de uso dos equipamentos comuns, evitando o cerceio completo do direito do proprietário locar o imóvel”, indica ele.

E nos casos em que os moradores não entrarem em acordo a respeito do assunto? Nestas situações, salienta o advogado, a saída será entrar na Justiça. “Não havendo consenso, o tema terá que ser enfrentado pela Justiça, que terá que decidir se é uma modalidade de locação, inerente ao direito de propriedade, ou se há conteúdo comercial de hotelaria incompatível com condomínio residencial”, finaliza.

Publicidade

ES Brasil Digital

ES Brasil 174
Continua após publicidade

Fique por dentro

Consumo de internet aumenta 25% durante isolamento social

Por conta do isolamento social, o consumo de internet aumentou consideravelmente durante o mês de março no mundo inteiro, inclusive no Brasil e no Espírito Santo.

Governo anuncia medidas econômicas contra impactos da covid-19

Nesta sexta-feira (27), o presidente da República e representantes das proincipais instituições financeiras do país anunciaram linha de crédito emergencial.

PIB capixaba fica estável no último trimestre de 2019

Comércio foi o que puxou o PIB no quarto trimestre de 2019, setores de informática e veículos tiverm maior alta. Indústria apresentou retração.

Inflação oficial registra taxa de 0,02% na prévia de março

Índice que mede a prévia da inflação oficial, ficou em 0,02% em março deste ano. Este é o menor resultado para o IPCA-15 desde o início de 1994.

Vida Capixaba

Festival promove apresentações de artistas nas mídias sociais

O Festival Fico em Casa, uma ideia que permite ao internauta a contemplar apresentações de nomes do rock, indie, samba, funk, MPB e muito mais.

Saiba como fica o tempo neste fim de semana!

De acordo com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), o fim de semana será de tempo bom no Espírito Santo.

Xô, coronavírus: “Dia de Cantoria” vai levar música para quarentena

O Dia de Cantoria é um projeto de musicalização infantil nas mídias sociais. É uma iniciativa idealizada por 4 amigos com experiência em musicalização

Cursos online gratuitos durante o isolamento social. Veja!

A Universidade Vila Velha (UVV) preparou dez cursos rápidos, online e gratuitos, para auxiliar o aprendizado de quem quer se manter qualificado
Continua após publicidade