Executivos da J&F ficam presos na PF de Brasília

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Joesley e Saud, da J&F, têm prisão decretada até a próxima sexta-feira (15) e ficarão na Superintendência da PF em celas separadas, de 9 metros quadrados cada.

Os executivos do grupo J&F, Joesley Batista e Ricardo Saud, com prisão temporária decretada, desembarcaram por volta das 15h30 em Brasília. Eles saíram de São Paulo em um avião da Polícia Federal (PF) por volta das 14h e foram direto à Superintendência da Polícia Federal (SPF). As informações são da Agência Brasil.

Ao chegar ao local, as duas viaturas que levavam os executivos foram recebidas com um protesto de um pequeno grupo de manifestantes que soltaram fogos de artifício. Motoristas que passavam pelo local buzinaram ao perceber os carros da PF. Manifestantes portavam bandeiras do Brasil e cartazes com dizeres “Somos todos Sérgio Moro” e “Bem-vindo, Joesley, Papuda te espera de braços abertos”.

Joesley e Saud têm prisão decretada até a próxima sexta-feira (15) e ficarão na Superintendência da PF em celas separadas, de 9 metros quadrados cada. Eles poderão ser transferidos ao Complexo Penitenciário da Papuda, caso a detenção seja convertida em prisão preventiva.

Os executivos da J&F

Os dois se entregaram à PF após o ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, aceitar o pedido de prisão temporária do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Pedido feito diante da divulgação de um áudio, com quatro horas de diálogo, entre ambos. De acordo com a PGR, a gravação aponta que eles omitiram informações durante o acordo de delação premiada.

As prisões temporárias dos executivos foram expedidas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, que acolheu o pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

De acordo com Rodrigo Janot, um áudio de quatro horas de uma conversa dos executivos da J&F, que mencionavam o ex-procurador da República Marcelo Miller, aponta que eles omitiram informações da Procuradoria-Geral da República durante as negociações do acordo de delação premiada.

Nessa segunda-feira (11), agentes da PF cumpriram mandados de busca e apreensão em endereços dos executivos, na sede da J&F em São Paulo e na casa do ex-procurador da República Marcelo Miller, no Rio de Janeiro.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome