28.2 C
Vitória
domingo, 29 março, 2020

Vale a pena comprar na China?

Leia Também

Covid-19: presos ganham liberdade por liminar

Justiça determinar a soltura de todos os presos do Espírito Santo, cuja liberdade provisória tenha sido condicionada ao pagamento de fiança.

PRF recebe doações de alimentos e kits de higiene para caminhoneiros

A ideia da campanha Siga em Frente, Caminhoneiro é minimizar os efeitos da situação causada pelo novo coronavírus e possibilitar condições de trabalho.

Com famílias em isolamento, saiba como evitar acidentes domésticos

Em situação de isolamento, aumentam as chances de acidentes domésticos ocorrerem, principalmente com crianças e idosos, em ambiente físicos.

Estado anuncia apoio de R$ 300 milhões para manutenção de empregos

Medidas contemplam abertura de linhas de crédito e prorrogação de taxas estaduais por 90 dias como ICMS do Simples Nacional.

O preço dos produtos vendidos em sites chineses é tentador, mas vale ficar atento a alguns pontos

Será que comprar produtos da China é seguro? Quais garantias você tem, como consumidor, após a compra? E se o produto chegar com defeito ou for diferente do ofertado, para quem você poderá reclamar?

É preciso entender os riscos antes de fechar negócio, principalmente, em compras de valores mais altos, a fim de diminuir seu prejuízo caso algo dê errado, alertam os especialistas do SPC Brasil, José Vignoli, educador financeiro, e Marcela Kawauti, economista-chefe.

A seguir, listamos as principais coisas que podem dar errado em sua compra online da China. Fique ligado:

Risco 1: o produto não chegar

É preciso entender que a maioria dos sites chineses se enquadra como market place, como os populares AliExpress e Wish. Ou seja, eles são uma espécie de shopping center virtual, em que vários fornecedores diferentes, muitas vezes pessoas físicas, vendem seus produtos, como acontece com o Mercado Livre no Brasil. Por isso, o risco do produto não chegar existe – e precisa ser considerado.

Considerando essa situação, o pagamento deve sempre ser feito dentro do site. Jamais aceite pagar por outro sistema, pois os sites costumam oferecer seguro e reembolso ao consumidor, caso o produto não chegue.

Para reduzir esse risco, você também pode escolher bem o fornecedor. O melhor a fazer é ler as opiniões de outros consumidores e fazer perguntas a respeito da mercadoria.

Outro fatos que pode influenciar na chegada do produto é o tipo dele. “Dependendo do bem, o pacote pode ficar retido por não ser permitida sua importação. É o caso de bebidas alcoólicas, fumo e produtos de tabacaria”, alerta Vignoli.

Risco 2: o produto demorar meses para chegar

Se você tem pressa em receber a mercadoria que adquiriu, é melhor comprar no Brasil. Afinal, quem já fez qualquer tipo de aquisição por meio de sites chineses sabe que a espera pode alcançar meses.

“Para não correr o risco de comprar algum item que precisa e ele só chegar quando não for mais necessário, é importante verificar o tempo estimado de entrega. Normalmente, a estimativa é de no máximo 3 meses. Analise ainda a possibilidade de pagar um frete mais alto para que o produto chegue mais rápido. Alguns sites oferecem essa opção”, diz Marcela.

Risco 3: o produto sair mais caro do que você estava calculando

As compras on-line em sites internacionais, geralmente, são feitas no cartão de crédito. E, na maioria dos cartões, o valor da compra sofre a variação de câmbio de acordo com a data de fechamento da fatura. Portanto, caso haja uma alta da moeda americana, sua compra poderá sair mais cara do que o calculado.

Além disso, existe a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para compras internacionais utilizando cartão de crédito. Essa taxa é de 6,38%. Não bastando tudo isso, você ainda deve somar a taxa de entrega dos Correios (R$ 15 por pacote), cobrada desde 2018 para todas as encomendas internacionais.

Ainda há o risco do produto ser taxado na alfândega e você precisar pagar imposto sobre o valor declarado.

Risco 4: o produto ser taxado na alfândega

Caso tenha custado mais do que US$ 50 (já somando frete), seu pacote pode ser taxado na alfândega, o que fará o valor aumentar significativamente para você.

Para se ter ideia, para compras com custo de até US$ 3 mil, o imposto é de 60% sobre o valor aduaneiro (produto + frete + seguro). Compras mais caras do que isso são taxadas com tributos federais individualmente, como Imposto de Importação, Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e PIS/Cofins de Importação, além do ICMS do estado de destino.

Risco 5: ter seu cartão clonado

Qualquer transação feita pela internet traz riscos de clonagem do cartão de crédito, independentemente de serem nacionais ou internacionais. O principal cuidado é buscar referências do site – note ainda se ele possui um cadeado ao lado da URL, o que indica que é um site com navegação segura.

Existem ainda bancos que tem o serviço de geração de um número aleatório para a compra, o chamado cartão virtual, que só pode ser usado uma vez. “Pode ser a saída para esse problema. Em alguns casos, também existe a possibilidade de gerar um boleto. Se possível, dê prioridade para esta modalidade, por ser segura e tão eficiente quanto o cartão”, diz Marcela.

Risco 6: o produto ser bem diferente da foto

Empresas internacionais não são reguladas pelas leis que protegem o consumidor aqui no Brasil. Logo, caso o produto que você receba seja diferente do prometido, não há como registrar reclamação junto ao Procon. Isso significa que o risco da compra é todo seu, a não ser que o site garanta estorno do valor nesse caso.

Antes da compra, vale verificar qual é o custo para reenviar a mercadoria, caso ela necessite ser trocada. “Alguns vendedores não custeiam o frete de retorno, o que acaba saindo bem caro, caso você precise pagar”, diz Marcela.

No caso de roupas, utilize uma fita métrica antes da compra para descobrir sua medida no site. Nem sempre o P, M e G de fora são os mesmos que os daqui. A numeração de sapatos também é diferente.

Risco 7: baixo custo pode significar baixa qualidade

Existem vários itens abaixo de US$ 1 sendo vendidos nos sites chineses. Lembre-se de que o barato pode sair caro – a baixa qualidade do produto pode fazer você ter prejuízo.

Além disso, que tal refletir um pouco a respeito da sua responsabilidade social como consumidor e em toda cadeia produtiva de artigos com valor de venda tão baixo? Quanto será que o trabalhador ganhou para fazer o produto? Será que não vale a pena pagar um pouco mais, caso isso represente garantia de melhores condições de vida da sociedade? Vale a reflexão!

Leia também
Publicidade

ES Brasil Digital

ES Brasil 174
Continua após publicidade

Fique por dentro

Consumo de internet aumenta 25% durante isolamento social

Por conta do isolamento social, o consumo de internet aumentou consideravelmente durante o mês de março no mundo inteiro, inclusive no Brasil e no Espírito Santo.

Governo anuncia medidas econômicas contra impactos da covid-19

Nesta sexta-feira (27), o presidente da República e representantes das proincipais instituições financeiras do país anunciaram linha de crédito emergencial.

PIB capixaba fica estável no último trimestre de 2019

Comércio foi o que puxou o PIB no quarto trimestre de 2019, setores de informática e veículos tiverm maior alta. Indústria apresentou retração.

Inflação oficial registra taxa de 0,02% na prévia de março

Índice que mede a prévia da inflação oficial, ficou em 0,02% em março deste ano. Este é o menor resultado para o IPCA-15 desde o início de 1994.

Vida Capixaba

Festival promove apresentações de artistas nas mídias sociais

O Festival Fico em Casa, uma ideia que permite ao internauta a contemplar apresentações de nomes do rock, indie, samba, funk, MPB e muito mais.

Saiba como fica o tempo neste fim de semana!

De acordo com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), o fim de semana será de tempo bom no Espírito Santo.

Xô, coronavírus: “Dia de Cantoria” vai levar música para quarentena

O Dia de Cantoria é um projeto de musicalização infantil nas mídias sociais. É uma iniciativa idealizada por 4 amigos com experiência em musicalização

Cursos online gratuitos durante o isolamento social. Veja!

A Universidade Vila Velha (UVV) preparou dez cursos rápidos, online e gratuitos, para auxiliar o aprendizado de quem quer se manter qualificado
Continua após publicidade