Vagas temporárias geram oportunidades e aquecem a economia

Foto: Reprodução

Mesmo enfrentando um período complicado na economia, a estimativa é de que o crescimento de 30% no número de contratações para o fim de ano

O segundo semestre do ano é sempre marcado por contratações temporárias. Com a aproximação do Natal, especialistas apostam que esse é o momento ideal para quem não tem um emprego se destacar no mercado de trabalho ou para quem já tem um trabalho ganhar um “extra”.

Dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) em julho mostram que, nesta primeira metade do ano, o país gerou cerca de 408.500 mil empregos formais, resultado superior ao mesmo período de 2018, quando foram gerados 392.461 novos empregos.

A gerente de Recursos Humanos da Consultoria Luandre, Bárbara Alves, ressalta que “mesmo que a oportunidade seja temporária, é importante que o candidato demonstre todo seu interesse, uma vez que há grandes chances de ele ser efetivado”.

As contratações temporárias tendem a ser melhores em 2019 que no ano passado. – Foto: Divulgação

Ainda de acordo com Bárbara, o contrato temporário é um dos formatos mais requisitados pelas empresas, que realizam todo o processo seletivo e também são responsáveis pela contratação para diversos ramos da economia, em todo o Brasil.

“Esse modelo de contratação se tornou um ponto forte no impulsionamento da economia, uma vez dá a empresa a possibilidade de busca pelo funcionário que mais se adequa à algum cargo, evitando turnovers (rotatividade de funcionários). Além disso, a lei permite, hoje, a contratação por 180 dias, com possibilidade de prorrogação por mais 90. Além da antecipação da abertura destas vagas, com essa extensão de prazo, os profissionais têm mais tempo para mostrar seu trabalho e isso aumenta muito a chance de serem efetivados”, afirmou a gerente.

Espírito Santo

A expectativa é de que sejam criados de 4 a 5 mil empregos temporários no Estado, ocorrendo com mais expressividade nos três últimos meses do ano, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Espírito Santo (Fecomércio–ES).

A expectativa é de que sejam criados de 4 a 5 mil empregos temporários no Estado, segundo o presidente da Fecomércio-ES, José Lino Sepulcri.

Ainda de acordo com a instituição, o início do ano foi de grande otimismo para o comércio, mas não se manteve depois de março. Mesmo assim, as vendas fecharam com o primeiro semestre de 2019 com um crescimento de 6,7% em relação ao ano passado. Apesar da perda de ritmo e do otimismo mais calibrado, o final do ano sempre traz a oportunidade de bons resultados e o setor irá se preparar para isso.

As contratações também acontecem no setor de Serviços que, mesmo registrando um primeiro semestre em queda de 1,7% (em relação ao mesmo período do ano passado) mantém o otimismo para as festas de Final de Ano e Verão. O presidente da Fecomércio-ES, José Lino Sepulcri, afirma que “o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro (+0,4%), mesmo que pequeno, também animou o setor produtivo capixaba”.

Perspectivas

O panorama atual é diferente de um ano atrás, quando havia incertezas nas eleições e no novo governo. “Com o avanço da agenda de reformas, as expectativas estão melhores e esperamos contratar mais que o ano passado. Aos poucos, vamos contribuindo para o crescimento de nossa economia. A liberação de uma parcela do FGTS também ajudará o comércio, estimulando o consumo e a quitação de dívidas que reabre o crédito para novas compras”, disse José Lino Sepulcri.

Para o economista e conselheiro efetivo do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES), Vaner Correia Simões Junior, esse ano será ainda melhor, pois há uma recuperação na economia. “O consumidor passou a direcionar o orçamento para as coisas mais importantes. Hoje as pessoas tendem a comprar coisas mais essenciais que as supérfluas, como frutas cristalizadas, produtos importados e outros que podem ser evitadas”, disse.

O economista e conselheiro efetivo do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES), Vaner Correia Simões Junior, esse ano será ainda melhor, pois há uma recuperação na economia. – Foto: Divulgação

Vaner acredita que podem ocorrer efetivações, pois o período é propício. “O aquecimento econômico pode perdurar até o ano que vem com o período de volta às aulas, carnaval e páscoa. São períodos em que a demanda de contratações também é expressiva e essa mão de obra pode ser aproveitada”, explicou.

O economista afirmou que no Espírito Santo a situação não é ruim como em outros Estados da Federação. “No último governo de Paulo Hartung houve uma busca em adequar a receita às despesas. Portanto, se houver melhora nacional vamos crescer ainda mais. Estimo que teremos um fim de ano melhor que 2018”, observou ele.

Comércio otimista

E o comércio capixaba já se prepara para as vendas de fim de ano, seja com novas contratações ou com promoções. A Magia do Mar oferecerá cerca de 10 vagas de emprego temporárias para os cargos de vendedora, caixa e estoquista.  As seleções vão começar em outubro.

As lojas Maschio, focadas no vestuário masculino, também já se preparam para a ocasião. “Devemos gerar 10 empregos a partir de novembro. Isso porque teremos duas grandes promoções antes do Natal: a Semana da Pátria e a Black Friday”, contou o empresário Rachid Assad. E expectativa de vendas é boa, visto que é o período para aquecimento do comércio. Por lá, as vendas permanecem no mesmo patamar de 2018. “Esperamos ter um crescimento na ordem de 5% nas vendas do Natal”, destacou o empresário.

Já a Superticket, especializada na venda de ingressos online, cartões pré-pagos de consumo e gestão dos bares e restaurantes, deve criar aproximadamente 10 vagas temporárias para o cargo mais demandado, que é o de técnico freelancer.

O empresário Plinio Escopelle destacou que ter mais funcionários é importante para o serviço funcionar com maior qualidade. “Os selecionados passam por treinamento e são chamados sempre que necessário, especialmente nos finais de semana, quando a demanda de eventos é sempre maior. A ideia com essas novas contratações é ampliar o quadro de funcionários na modalidade intermitente, criada com a reforma trabalhista de 2017. Para as vagas que devem ser criadas, buscamos pessoas comunicativas e que tenham facilidade com tecnologia, além de disponibilidade para viajar e participar de eventos onde dão suporte técnico na nossa tecnologia aos clientes”, finalizou.

Conteúdo Publicitário