23.3 C
Vitória
domingo, 21 abril, 2024

Turismo: mais de R$ 8,7 milhões em financiamentos

Somente o setor de gastronomia, solicitou em crédito R$ 5,03 milhões, a hotelaria também se destacou com R$ 1,2 milhão

Por Amanda Amaral 

Para fomentar o turismo no Espírito Santo, foram investidos R$ 8,7 milhões em financiamentos ao longo de 2022. Desse total, 85% dos recursos foram direcionados a micro e pequenas empresas. Somente no segmento gastronomia, foram empregados R$ 5,03 milhões.

- Continua após a publicidade -

As informações são do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes). O objetivo do financiamento, segundo a instituição, é possibilitar o investimento em infraestrutura e em negócios estratégicos ligados ao turismo, a fim de estimular e promover as atividades turísticas no Espírito Santo.

Atividades do turismo

Os empreendimentos em gastronomia que mais solicitaram o apoio financeiro foram restaurantes, lanchonetes e similares. Outro setor de destaque foi a hotelaria, para o qual foram destinados R$ 1,2 milhão para negócios como hotéis e pousadas.

Uma variedade de modelos de negócios foram contemplados no ano passado, segundo o banco de desenvolvimento. Vão desde o turismo religioso, de negócios e eventos, agroturismo, ecoturismo, cultural, histórico, náutico, até o turismo esotérico. Alguns exemplos são os restaurantes, lanchonetes, hotéis, zoológico, parques nacionais, reservas ecológicas, áreas de proteção ambiental, locação de automóveis, casas de festas e eventos, além de bares e comércio varejista.

Condições operacionais

Para o fomento do turismo como negócio e estratégia para o desenvolvimento social e econômico, o Fungetur, o Fundo em que o Bandes é repassador exclusivo no Espírito santo, é uma alternativa que possibilita a geração de emprego e renda, além da inclusão social e a melhoria na qualidade de vida dos capixabas.

O crédito é indicado para a implantação, expansão, relocalização, modernização, diversificação, desenvolvimento tecnológico e gerencial de empreendimentos ligados ao setor turístico. Qualquer pessoa jurídica de atividade produtiva localizada no Estado está apta a ser beneficiário.

As condições operacionais exigem até 80% de participação, as taxas de juros são a partir de 3% ao ano +  Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), com carência de até 24 meses. O prazo total para parcelamento é de até 120 meses, com CET 3,29% ao ano + INPC.

Acesso ao crédito

finaciamentos
O Bandes fomenta as atividades econômicas no Espírito Santo. Foto: Divulgação

“As linhas de financiamento que operamos voltadas para o turismo têm condições operacionais únicas, com prazos maiores, carência e taxas de juros adequadas às necessidades de cada empresa. O papel de um banco de desenvolvimento é justamente esse, fomentar novas atividades produtivas, além de propiciar modernização e a expansão dos empreendimentos, impulsionando a economia local dos variados ativos turísticos”, salientou o gerente de Negócios do Bandes, Mario Jantorno. Em todo o Estado, segundo ele, há potencial e atrativo turístico. “O acesso ao crédito possibilita a melhoria na prestação do serviço ao cliente final, com destaque, entre outros, para as instalações mais modernas e confortáveis e a geração de energia renovável com redução de custos de energia”, completou Jantorno.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA