29 C
Vitória
domingo, 24 janeiro, 2021

Empresário capixaba: seja fornecedor da cadeia de petróleo e gás

Isso porque somente a Petrobrás compra anualmente cerca de R$ 3 bilhões aqui no Estado. Veja como conquistar seu espaço.

Nesse universo há, pelo menos, 40 tipos de produtos e serviços que podem ser fornecidos ou prestados pelas empresas capixabas de pequeno porte que são especializadas no setor. Segundo informações do Fórum Capixaba de Petróleo e Gás, da Federação das Indústrias do Estado (Findes), a cadeia produtiva do setor é ampla e, entre serviços e produtos estão de ferramentas manuais, materiais de escritório, móveis e utensílios domésticos , seguros e serviços financeiros, construção e obras civis, entre outros tantos.

De acordo com o especialista no segmento e coordenador do Fórum Capixaba de Petróleo e Gás, Durval Vieira de Freitas, nos próximos cinco anos, a Petrobras vai investir cerca de R$ 16 bilhões no Estado.

Já com relação ao gasto anual de R$ 3 bilhões em produtos e serviços no Espírito Santo, Durval ressaltou que esse valor pode ser superado e explicou que a compras podem ser diretas e indiretas.

“O fornecedor e prestador de serviço local precisa entender que não é só a Petrobras que compra. São também operadoras das plataformas, empresas que alugam rebocadores. Há um número grande de clientes pela frente”.

Segundo o especialista, para ser uma fornecedora da Petrobras e de outras empresas do setor, a empresa precisa estar com toda a documentação em dia.

“Há ainda certificações próprias do setor como as de Qualidade, SMS (Segurança, Meio Ambiente e Saúde), Trabalho em altura, entre outras. Há cadastro que, às vezes, não são tão simples. E tudo também tem de estar em inglês, que é o idioma exigido no setor”.

Durval ressaltou que o mercado de petróleo e gás é muito vantajoso. Só a Petrobras fatura, por ano no Estado, R$ 20 bilhões. Depois vem a Vale, com R$ 10 bilhões. Isso dá a dimensão do setor”.

Ele complementou: “É um setor bem vantajoso, mas que cobra absoluto profissionalismo e foco de todas as empresas participantes. Não há espaço para amadores ou curiosos”.

 

Páginas amarelas: Bens e serviços básicos. Nesse caso, é dispensada qualquer comprovação documental.

Operacionais: Itens com um grau maior de criticidade se comparados aos itens de Páginas Amarelas. Demanda comprovação documental.

Críticos: Bens e serviços críticos e de alto impacto econômico. Demanda comprovação documental.

Estratégicos: Itens chave para a operação da empresa. São de alta complexidade e fundamentais para a execução das atividades. Demanda comprovação documental.

Segundo o fórum, atualmente 434 micro e pequenas empresas estão inseridas na cadeia de Petróleo e Gás, um crescimento de 24% em relação ao ano passado. Um número que ainda pode ser ainda maior e expressivo com muitas oportunidades de negócios.

*Da redação com informações da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes)

- Publicidade -

Matérias relacionadas

2020: um ano perdido?

Um período que será estudado nos livros de história. O ano em que caímos e nos fizemos mais fortes em meio à crise e...

Guedes diz que ‘cartão vermelho’ de Bolsonaro não foi direcionado a ele

O ministro lembrou que, desde início, o presidente disse que não queria consolidar programas sociais para criar o Renda Brasil, e que foi uma decisão política

Setor de serviços cresce 5% de maio para junho, diz IBGE

O volume de serviços no país cresceu 5% em junho na comparação com o mês anterior. A alta veio depois de quatro quedas consecutivas...

Auxílio emergencial elevou em 24% renda pré-pandemia, mostra pesquisa

Segundo estudo, dado destaca a pobreza e a desigualdade do país. Saiba mais! As pessoas que recebem o auxílio emergencial, pago pelo governo federal durante...

Top 5 da sobrevivência

Disruptura. Definitivamente essa é palavra de ordem no universo da gestão. Após três meses convivendo com as bruscas mudanças nos processos de trabalho provocadas pela pandemia, proprietários dos setores da indústria e do comércio ainda não são capazes de mensurar o tamanho do estrago final que o novo coronavírus vai deixar

Empresa que vai gerir Parque de iluminação de Vila Velha será conhecida na próxima semana

O leilão que definirá a empresa que vai gerir o serviço nos próximos 20 anos será conhecida na próxima segunda-feira (03), na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), na Bolsa de Valores, em São Paulo.

ES Brasil Digital

ESBrasil-184 - Retrospectiva
Continua após publicidade

Fique por dentro

Série histórica mostra ocupação hoteleira durante a pandemia

Já estão disponíveis no Observatório do Turismo os dados relativos à taxa de ocupação hoteleira relativa ao ano de 2020, nos municípios de Vitória, Vila Velha e Serra

Sicoob inicia 2021 com recordes de movimentações financeiras

Instituição tem atuado para facilitar acesso a produtos e serviços financeiros aos seus mais de 5 milhões de cooperados

Concessão da Codesa: o que muda!

A Federação das Indústrias do Espírito Santo promoveu uma audiência para esclarecer o setor produtivo sobre o processo de desestatização da Codesa, a Companhia Docas do ES

Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões

as variáveis determinantes para os resultados estão relacionadas aos preços dos produtos no mercado interno

Vida Capixaba

Mucane e Circuito Cultural de Vitória retomam aulas na próxima segunda-feira

Oficinas presenciais de percussão, cavaquinho, dança afro brasileira na modalidade “Tribal” e capoeira

TOTVS Espírito Santo foi eleita a melhor unidade do Brasil em 2020

A TOTVS é conhecida como a maior empresa de tecnologia do Brasil, e sua unidade do ES foi eleita a melhor unidade do Brasil em 2020

Queijos: segunda maior agroindústria capixaba

Queijos com adição de especiarias e ervas finas, com recheio de geleias de frutas, doce de leite e embutidos, ou até defumados, são algumas versões de queijos capixabas que demonstram a potencialidade do setor
Continua após publicidade