21 C
Vitória
sexta-feira, 19 abril, 2024

Putin desafia mandado de prisão e visita áreas da Ucrânia

Foi a primeira visita de Putin à região industrial de Donbas, o mais próximo que o presidente russo esteve da linha de frente da guerra

O presidente russo, Vladimir Putin, fez uma visita surpresa à cidade ucraniana de Mariupol, ocupada desde maio de 2022, sua primeira viagem desde que o Tribunal Penal Internacional, em Haia, emitiu um mandado de prisão contra ele por crimes de guerra.

Foi também a primeira visita de Putin à região industrial de Donbas, tomada da Ucrânia no ano passado, e o mais próximo que o presidente russo esteve da linha de frente da guerra. De acordo com a agência de notícias Tass, Putin voou de helicóptero para Mariupol no sábado e fez um tour pela cidade. Ele conversou com moradores e recebeu um relatório sobre as obras de reconstrução

- Continua após a publicidade -

Mariupol foi palco de uma das batalhas mais sangrentas da guerra e marcou a primeira grande vitória da Rússia, depois do fracasso da ofensiva contra Kiev.

A cidade foi capturada após um longo cerco no qual as forças russas destruíram a siderúrgica Azovstal, último reduto da resistência ucraniana.

Crimeia

No sábado, antes de viajar para Mariupol, Putin passou algumas horas na Crimeia, uma viagem que marcou o aniversário de nove anos da ocupação da península ucraniana. A TV estatal mostrou o presidente visitando a cidade de Sebastopol, no Mar Negro, acompanhado pelo governador local, Mikhail Razvozhayev, que foi indicado por Moscou.

As viagens de Putin ocorreram logo após a emissão de um mandado internacional de prisão contra ele. Na sexta-feira, um painel de juízes do TPI pediu a prisão do presidente russo citando evidências de crimes de guerra, em razão da deportação em massa de crianças ucranianas para a Rússia.

Kiev diz que mais de 16 mil menores foram sequestrados desde o início do conflito, em fevereiro de 2022. Muitos deles foram colocados em instituições e lares adotivos. O promotor do tribunal, Karim Khan, disse que Putin pode ser preso se pisar em qualquer um dos 123 países que ratificaram o Tratado de Roma e reconhecem a jurisdição da corte.

O Kremlin afirmou que não reconhece a jurisdição do TPI – o Tratado de Roma, que criou o tribunal, foi assinado pela Rússia, mas nunca foi ratificado. O mandado de prisão, portanto, segundo o governo russo, não afetaria Putin. No fim de semana, o presidente russo parece ter reforçado essa imagem, ao caminhar tranquilamente pelos territórios ocupados.

Isolamento

A situação de Putin, no entanto, não é a mesma desde que o TPI pediu sua prisão. Seu isolamento internacional aumentou. Ontem, a Alemanha disse que o presidente russo será preso se pisar no país. “Se ele entrar em território alemão, será preso e entregue ao TPI”, disse Marco Buschmann, ministro da Justiça.

Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA