21 C
Vitória
terça-feira, 20 outubro, 2020

Por venda de sentenças, Fachin mantém preso perito ligado a ‘juiz dos ingleses’

Leia Também

Brasil tem prioridade no recebimento de vacina russa, diz fundo financiador

"Uma pequena porcentagem de pessoas pode ter febre, mas até agora não tivemos complicações graves", acrescentou Dmitriev

Mercado financeiro projeta queda de 5% na economia este ano

A previsão do mercado financeiro para a queda da economia brasileira este ano ficou em 5%

Eleições 2020: Brasil tem 147,9 milhões de eleitores aptos a votar

Mulher, com ensino médio e de 35 a 59 anos é o perfil majoritário do eleitor que votará nas eleições de 2020, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ao analisar o caso, Fachin observou que, segundo os autos, a prisão preventiva de Tadeu não foi justificada em ‘argumentos genéricos, mas em evidências concretas’

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal negou medida liminar em habeas corpus ao perito judicial Tadeu Rodrigues Jordan, que pedia a revogação de sua prisão preventiva decretada no âmbito da Operação Westminster – investigação sobre esquema de venda de decisões sobre precatórios milionários e apropriação de verbas referentes a honorários periciais na Justiça Federal de São Paulo.

Tadeu Rodrigues Jordan foi denunciado pelo Ministério Público Federal por crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A acusação atinge, além do perito, outras sete pessoas, entre elas o juiz federal Leonardo Safi de Melo, afastado da 21.ª Vara Cível Federal apontado como ‘líder’ do grupo.

A defesa do perito foi ao Supremo após o Superior Tribunal de Justiça negar um habeas corpus no qual também era solicitada a revogação da preventiva. As informações foram divulgadas pelo STF.

À corte máxima, os advogados de Tadeu argumentaram que não estavam presentes os requisitos da prisão preventiva decretada contra o paciente, que não procede a acusação de que ocuparia o paciente posição de destaque na organização criminosa e que a segregação cautelar era desproporcional, no sentido de que medidas alterativas seriam ‘suficientes para o resguardo do processo’ . Além disso, alegaram que Tadeu integra o grupo de risco da Covid-19, por ser idoso e ter diabetes, e teria a prerrogativa de ser recolhido à Sala de Estado Maior ou, à sua falta, prisão domiciliar por ser advogado.

Ao analisar o caso, Fachin observou que, segundo os autos, a prisão preventiva de Tadeu não foi justificada em ‘argumentos genéricos, mas em evidências concretas’ de que o perito integrava organização criminosa e participou ativamente de cinco reuniões em que, aparentemente, o grupo tentou negociar a expedição célere de precatórios judiciais.

O ministro frisou ainda que Tadeu atuou como perito em 18 processos sob investigação, somente entre de outubro de 2018 a fevereiro de 2020. Nessa linha, o relator frisou que a jurisprudência do STF reconhece a prática de atos de lavagem de dinheiro no desenrolar das investigações como fundamento idôneo para a prisão preventiva.

Fachin ainda reproduziu trecho do parecer da Procuradoria-Geral da República sobre o caso: “o mero afastamento da função de perito judicial não é suficiente para estancar a continuidade delitiva, sendo a manutenção da preventiva necessária para garantia da ordem pública e ordem econômica, pois, além da atuar na venda de decisões judiciais e desvio dos honorários periciais, o paciente também atuava na arquitetura financeira do esquema ilícito, tais como a utilização de múltiplas fontes de pagamento para a diluição dos valores, a realização de pagamentos no exterior e a utilização de pessoas interpostas com lastro financeiro para realizarem movimentações em valores elevados, entre outros”.

O ministro também rejeitou ,na liminar, o argumento de que Jordan, por fazer parte do grupo de risco da Covid-19, não deveria continuar preso, assim como o pedido alternativo de que o perito ficasse preso na Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, por ser advogado. Segundo Fachin, o STJ registrou que a segregação em cela especial em unidade penitenciária supre a exigência do Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Ao indeferir a liminar, o ministro solicitou informações sobre as condições sanitárias do estabelecimento prisional e a compatibilidade das instalações em que Jordan se encontra custodiado. Solicitou também a manifestação do MPF, para que, posteriormente, possa julgar o mérito do pedido.

COM A PALAVRA, A DEFESA

Até a publicação desta matéria, a reportagem buscou contato com os advogados de Tadeu Rodrigues Jordan, mas sem sucesso. O espaço permanece aberto a manifestações.

Com informações da Agência Estado.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Brasil tem prioridade no recebimento de vacina russa, diz fundo financiador

"Uma pequena porcentagem de pessoas pode ter febre, mas até agora não tivemos complicações graves", acrescentou Dmitriev

Ocupação de UTI no Estado de SP é a mais baixa da pandemia

"Estamos no controle da pandemia, mas a vacina é e será a única maneira de retornarmos ao normal", completou o secretário Gorinchteyn

Mundo chega a mais de 40 milhões de contaminações por covid-19

O aumento do número de infecções pode ser explicado em parte pela elevação do número de testes de diagnóstico em alguns países

Rússia inicia transferência tecnológica para produzir vacina no Brasil

Acordo entre o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e a farmacêutica União Química pode permitir que a empresa produza no Brasil, ainda este ano, a vacina contra covid-19 desenvolvida na Rússia.

Mercado financeiro projeta queda de 5% na economia este ano

A previsão do mercado financeiro para a queda da economia brasileira este ano ficou em 5%

Defensoria pública de SP pede ao STJ habeas corpus coletivo para idosos presos

O defensor Rafael Muneratti, aponta ainda que pouquíssimos os pedidos de prisão domiciliar foram atendidos

ES Brasil Digital

Capa ES Brasil 181
Continua após publicidade

Fique por dentro

Guedes: estamos próximos de assinar acordo com EUA para evitar dupla taxação

Segundo o ministro, as novas reformas e novas fronteiras de investimento em diferentes setores possibilitarão o crescimento

Guedes diz que pode desistir de imposto sobre transações digitais

"A Febraban é que mais subsidia e paga todos os economistas brasileiros para dar consultoria contra esse imposto", afirmou Guedes

Rebanho bovino alcançou 214,7 milhões de animais em 2019, afirma IBGE

O Estado de Mato Grosso manteve a liderança na criação de gado, com 31,7 milhões de cabeças, o equivalente a 14,8% do rebanho nacional

Projeção do Focus para PIB de 2020 passa de -5,02% para -5,03%

No caso de 2021, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 4,53%, ante 5,50% de quatro semanas antes

Vida Capixaba

Instituto capixaba investe 1 milhão de reais em startups

Os futuros empreendedores capixabas serão contemplados com o investimento de R$1 milhão, para quem deseja abrir seu próprio negócio.

Um dia No Parque

O parque Estadual da Pedra Azul, em Domingos Martins, está participando do Festival um Dia no Parque.

Crianças entrevistam ministro Marcos Pontes em bate-papo especial

Em celebração ao Dia das Crianças e como parte da programação do Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovações (MNCTI), o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) organizou uma edição especial do Bate-papo Ciência & Tecnologia no Dia a Dia

IEL-ES está com 78 vagas para estágio na Grande Vitória

O IEL-ES está com 78 vagas de estágio em aberto nos municípios de Cariacica, Serra, Vila Velha e Vitória.
Continua após publicidade