23.3 C
Vitória
quarta-feira, 24 abril, 2024

Pequeno empreendedor como ferramenta para a erradicação da miséria

Pequeno empreendedor como ferramenta para a erradicação da misériaTema foi debatido nesta quarta-feira, em Brasília, pela Frente Nacional dos Prefeitos, durante reunião preparatória para o encontro sobre desenvolvimento sustentável marcado para março.

Pequenos negócios, qualidade ambiental e erradicação da miséria foram temas discutidos, nesta quarta-feira (1º), em reunião da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), em Brasília. A entidade prepara o I Encontro de Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, marcado para março. Além de prefeitos, participaram parlamentares, representantes do governo federal e do terceiro setor.

- Continua após a publicidade -

Na avaliação do prefeito de Vitória e presidente da FNP, João Coser, o cidadão excluído não tem oportunidades na grande empresa e sim “na padaria, numa obra, na pizzaria, no comércio.A ideia é que o brasileiro excluído tenha oportunidade nas micro e pequenas empresas, seja como empreendedor individual de seu pequeno negócio ou como empregado. Por isso, ele é fundamental para o desenvolvimento do país”, reforça o prefeito. De acordo com Coser, o instrumento mais importante para erradicação da miséria é o investimento na micro e pequena empresa e no empreendedor individual.

Para o diretor de Inclusão Produtiva do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Luiz Müller, a FNP compreende que o desenvolvimento sustentável se dá com a erradicação da extrema pobreza e pela inclusão produtiva. “Essa população não tem autonomia construída, mesmo com acesso a programas sociais como o Beneficio de Prestação Continuada (BPC) ou o Bolsa Família. A autonomia se constrói com postos de trabalho, empreendedorismo individual e economia solidária.”

O I Encontro de Municípios será realizado de 27 a 29 de março, em Brasília, pela FNP, com o apoio do governo federal e do Sebrae.

Para o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, apoiar e incentivar os pequenos negócios é investir no desenvolvimento econômico e social. “O Brasil vive momento especial com economia sólida, alto nível de emprego e favorecimento do empreendedorismo, a exemplo da atualização dos tetos de receita para entrada no Supersimples e do incentivo à formalização por meio do Empreendedor Individual (EI), programa que se aproxima de dois milhões de registros”. O presidente, no entanto, lembrou que é preciso avançar nas simplificações e adequações das regras para resolver problemas relativos ao licenciamento para o exercício da atividades. “A sobrevivência desses negócios depende muito dos municípios”, destacou.

No evento, a ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, destacou a importância dos temas do encontro e disse que a presidente Dilma Rousseff orientou que haja obsessão na oferta de oportunidades para que as pessoas possam viver com dignidade.

A programação do encontro prevê a apresentação de experiências bem-sucedidas de inclusão produtiva e de tecnologias disponíveis para esse tipo de ação. Haverá quatro painéis debatendo temas como economia local e oportunidades para pequenos negócios, gestão pública aliada do empreendedorismo e qualidade ambiental urbana e desenvolvimento sustentável.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA