Paraty e Ilha Grande viram patrimônios mundiais da Unesco

Foto: Reprodução

Paraty e Ilha Grande, localizadas no litoral da costa verde do Rio de Janeiro, receberam, na última sexta-feira (5), os títulos de Patrimônios Mundiais da Unesco. É uma conquista inédita na América Latina, porque reconhece tanto a cultura como a riqueza biológica da região.

As ruas e casas foram construídas há mais de 200 anos, o que destaca a valorização do refúgio para as espécies raras da Mata Atlântica.

Esta é a terceira vez que a cidade de Paraty concorre ao título. Em 2009, a cidade histórica já tinha se candidatado. Chegou até a última etapa da avaliação, mas foi rejeitada. Na época, a orientação foi reunir mais elementos.

O centro histórico se cerca de quatro áreas de conservação ambiental, que abrangem o Parque Nacional da Serra da Bocaina, o Parque Estadual da Ilha Grande, a Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul e a Área de Proteção Ambiental de Cairuçu, um território de quase 149 mil hectares. Quase 1.500 quilômetros quadrados, praticamente o mesmo tamanho da cidade de São Paulo.

Na Baía da Ilha Grande, em Angra dos Reis, são mais de 187 ilhas em um território preservado. A área abriga um sistema de comunidades tradicionais que misturam cultura e biodiversidade.

Foram avaliados 28 pedidos de sítios mundiais, sendo dois mistos, e os de Paraty e Ilha Grande foram dois dos reconhecidos. Atualmente, são 22 bens brasileiros na lista de sítios de excepcional valor universal.

Conteúdo Publicitário