24.4 C
Vitória
quinta-feira, 18 abril, 2024

Para volta às aulas, ministro pede que avaliação dos pais seja a principal

O Ministério da Educação (MEC) só pode contribuir com aconselhamentos e não tem poder decisão sobre prefeituras e governos estaduais

Por Mílibi Arruda (AE)

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, declarou nesta sexta-feira, 28, que os pais devem ser os principais ouvidos pelos governos e prefeituras na consideração de quando devem ser retomadas as aulas presenciais durante a pandemia de covid-19. “Eu acho que o retorno às aulas depende, naturalmente, do gestor regional. Também, e sobretudo, da opinião dos pais quando se trata de criança”, disse durante transmissão ao vivo da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES).

- Continua após a publicidade -

Ele afirmou que, sobre a educação básica, o Ministério da Educação (MEC) só pode contribuir com aconselhamentos e não tem poder decisão sobre prefeituras e governos estaduais.

O ministro acrescentou também que cada região do Brasil vive uma situação diferente frente ao surto do novo coronavírus, então não é possível uniformizar a decisão.

Quando perguntado se o ensino a distância poderia durar até o final do ano que vem, Ribeiro disse que esperava uma volta ao ensino presencial ou semipresencial mais cedo e pediu ajuda divina para que isso ocorra.

“Aqui invoco a ajuda de Deus, que Deus nos dê uma abertura e uma solução para que no mais tardar aí, no início de 2021, as coisas voltem a uma certa normalidade”, declarou ele, ao destacar que era uma avaliação pessoal, “fora da cadeira de ministro”.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA