Nova diretoria da Findes toma posse

O novo presidente da Findes defende a volta das atividades da Samarco, inovação e a melhoria de nossas estradas – para escoar a produção – como prioritárias ao desenvolvimento do Estado. 

Leonardo de Castro é o mais jovem empresário a assumir a presidência da Findes – Federação das Indústrias do Espírito Santo – e por votação unânime. Durante cerimônia, que reuniu o “PIB” capixaba, Léo de Castro disse apostar em um crescimento entre 4% e 4,5% para a indústria capixaba em 2017.

Apesar do resultado positivo, o presidente destacou que ainda é preciso muita cautela. “Para este ano, a expectativa é de que a produção industrial cresça de 4% a 14,5%, mas  não é motivo para festejar muito, porque em 2016 tivemos queda na produção acima de 18%.”

Ele destacou ainda que o crescimento da indústria poderia ser maior se as atividades da Samarco já tivesse sido retomadas. “Estivemos há 15 dias em uma reunião com o governador de Minas Gerais, junto com o vice-governador César Colnago, para tratar dos pontos que ainda atrasam a retomada da siderúrgica. É um desejo de todos nós que a empresa retome as atividade o quanto antes, pois representa 5% do PIB do Espírito Santo. O que a Samarco deixa de arrecadar de ICMS para o Espírito Santo equivale hoje a todo o investimento que o estado está fazendo. Se a Samarco tivesse operando, o estado dobraria a sua capacidade de investimento próprio”, explicou Léo de Castro.

DESTAQUES

A aposta é de estabilidade econômica e também concretização das reformas para estimular a indústria capixaba. “Estamos diante de uma crise que o Brasil nunca vivenciou. As empresas fazendo um esforço redobrado pra sobreviver a esse momento de extremo desafio. Preferimos acreditar que vamos avançar nas reformas, que a sociedade está entendendo que tem um papel, além da política pura”, afirmou

Ainda segundo Castro, “a sociedade assumiu um protagonismo nesse jogo” e está cobrando avanço na reforma da Previdência, que ele classificou como emergência ao país, e também das reformas tributária e política.

Conselheiro na Confederação Nacional da Indústria (CNI), Leonardo defende que o Espírito Santo intensifique os investimentos em inovação.  “O Espírito Santo tem sido uma grande exceção no nosso país no que diz respeito a: política pública, equilíbrio fiscal, priorizar questões realmente relevantes ao desenvolvimento, como é o caso da educação. No que diz respeito a federação das indústrias, vamos trabalhar muito em cima do tripé inovação, produtividade e desenvolvimento de mercado.”, falou.

O presidente ressaltou ainda que é necessário estar atento à questão fiscal. “Por último, precisamos cobrar que o ajuste fiscal do governo ocorra no campo da despesa e não do aumento do imposto, como aconteceu recentemente”

ESTRADAS

A indústria está bastante preocupada também com a logística de escoamento da produção capixaba. Isso porque a situação das estradas que cortam o Espírito Santo não está nada boa. E, apesar do ministro dos Transportes, Maurício Quintella Lessa, ter garantido a duplicação da BR-101, durante visita ao Estado, não especificou o tempo de espera para o início das obras.

“Existe um contrato com cláusulas. Precisamos entender quais cláusulas, tanto das obrigações quanto dos direitos, que fugiram do controle. E buscar um equilíbrio para a retomada das obras na BR-101”, falou Léo.

DIRETORIA FINDES

Além do presidente Leonardo de Castro na presidência, a nova diretoria da Federação das Indústrias é composta por 45 empresários, entre vice-presidentes, diretores e conselheiros. Durante três anos, eles serão os responsáveis pela gestão da Findes.

E a posse da nova diretoria teve como convidado o presidente da Petrobras. Pedro Parente falou aos empresários sobre a reestruturação da empresa depois dos escândalos de corrupção, e confirmou grandes investimentos para o estado.

PETRÓLEO

O evento, realizado no salão do Le Buffet Master, em Vitória, reuniu quase 800 convidados. Entre empresários, industriais e políticos capixabas que prestigiaram a posse da diretoria que irá gerir o sistema Findes até 2020, o presidente da Petrobrás, Pedro Parente.

Em seu discurso, citou que o Espírito Santo – primeiro do país a sediar extração off-shore e também no pré-sal – havia produzido 365 mil barris de petróleo até as 15 horas da quinta-feira (3). A produção diária do estado é de cerca de 470 mil barris de óleo por dia.

Nos próximos cinco anos, a Petrobras deverá investir US$ 2,5 bilhões no Espírito Santo, quase 8 bilhões de reais. Novos poços serão perfurados e plataformas instaladas. “É provável que o estado entre já nos próximos leilões da camada pré-sal”, disse Parente aos jornalistas pouco antes do início do evento.

Conteúdo Publicitário

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome