24.4 C
Vitória
domingo, 19 maio, 2024

Ministra da Saúde afirma que dengue e gripe podem colapsar sistema

Secretaria de Estado e as prefeituras da Grande Vitória se manifestaram sobre a existência dessa possibilidade no atual cenário

Por Kebim Tamanini

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, fez um alerta sobre o aumento, classificado pelo ministério como antecipado, de casos de vírus respiratórios no país,nesta quarta-feira (20), em Brasília. Durante a declaração, a gestora destacou que, se os casos continuarem aumentando, alguns estados ou municípios poderão ter o sistema de saúde sobrecarregado.

- Continua após a publicidade -

“A dengue é o mais grave problema de saúde pública que temos hoje, mas não é o único. E nós não queremos descuidar das outras doenças. Vejo como uma situação de alerta porque, em alguns municípios e estados, se houver essa concomitância [de casos de dengue e de gripe], o que podemos ter, naturalmente, é uma pressão maior sobre os sistemas de saúde e isso pode nos levar a tomar mais medidas”, relatou a ministra da Saúde.

Diante do cenário epidemiológico, a pasta decidiu antecipar a campanha nacional de vacinação contra a gripe. No Espírito Santo, algumas prefeituras já estão imunizando os grupos prioritários.

Em relação à possibilidade de um colapso na rede de saúde, o portal ES BRASIL procurou a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e as prefeituras da Grande Vitória para obter esclarecimentos se há esta possibilidade e o que vem sendo feito para que não haja um colapso.

A Sesa informou que estabeleceu a Sala de Situação voltada exclusivamente para os assuntos estratégicos das arboviroses, desempenhando um papel fundamental no enfrentamento da epidemia e no fortalecimento dos dados epidemiológicos da dengue. Em suas manifestações, a pasta esclarece a importância do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) que mostra os lugares e ações que devem ser desenvolvidas.

Quanto à gripe, a meta do Estado é vacinar acima de 90% da população, conforme exigido pelo Ministério da Saúde. Entretanto, em 2023, o índice não foi alcançado, com apenas 54% dos capixabas vacinados durante a campanha. Uma das justificativas foi a disseminação de fake news.

“Tivemos muitos relatos de pessoas que acreditavam que, ao se vacinarem contra a Influenza, também estariam protegidas contra a Covid-19. Outras acreditavam que ficariam gripadas após a vacinação, entre outras desinformações”, explicou a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis (PEI), Danielle Grillo.

Secretaria de Estado e as prefeituras da Grande Vitória se manifestaram sobre a existência dessa possibilidade no atual cenário
As prefeituras informaram que a rede pública de saúde está estruturada e que, caso aumente a quantidade de atendimentos, medidas serão tomadas. Foto: PMV

O que dizem as prefeituras da Grande Vitória

Cariacica anunciou que todos os serviços de saúde estão preparados para receber pacientes com casos de dengue e doenças respiratórias. O objetivo é agilizar o atendimento para pessoas diagnosticadas com dengue que necessitam de cuidados para recuperação. Como parte desses esforços, a Semus estabeleceu pontos de hidratação para aplicação de soro e realização de exames de sangue em diversas Unidades Básicas de Saúde (UBS), incluindo as de São Francisco, Morada de Santa Fé, Santa Bárbara, Bela Aurora, Itaquari, Valparaíso, Flexal e Rio Marinho. Além disso, os Prontos Atendimentos (PA) de Nova Rosa da Penha I, Flexal II e Bela Vista também oferecem pontos de hidratação.

Em Vila Velha, a prefeitura informou que a média atual de espera dos pacientes nos Prontos Atendimentos e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) é de 50 minutos. A gestão municipal adota o protocolo de Manchester para triagem de pacientes nos PAs, um método que classifica os pacientes de acordo com a gravidade do quadro clínico apresentado e o tempo de espera recomendado. A cidade assegura estar preparada para enfrentar possíveis aumentos nos atendimentos.

Por sua vez, a Prefeitura de Vitória ressaltou que dispõe de 29 Unidades de Saúde e dois Prontos Atendimentos para atender os moradores da capital. A administração municipal afirmou possuir o número adequado de profissionais para o cenário atual e se comprometeu a reforçar os recursos humanos, se necessário, para garantir o atendimento aos cidadãos.

A Secretaria de Saúde da Serra afirmou estar passando por um período de aumento de casos dessas doenças. A pasta destacou que reforçou o atendimento nas unidades de saúde e está preparada para abrir novos pontos, se necessário, e já definiu locais estratégicos para isso. Além desses anúncios, também iniciou processos de contratação imediata de profissionais médicos como forma de fortalecer o sistema de saúde, caso seja exigido.

Matéria atualizada às 19h14

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA