22.1 C
Vitória
sexta-feira, 19 agosto, 2022

Pesquisas de inovação no setor público e na indústria

A Fapes lançou uma chamada pública inédita para criar ponte entre a universidade e as demandas de empresas e governos
José Antonio Bof Buffon é diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), economista e professor do Departamento de Economia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

A Fapes lançou uma chamada pública inédita para criar ponte entre a universidade e as demandas de empresas e governos

Há décadas o desafio de aproximar a universidade das demandas do setor privado já é tratado como primordial para o desenvolvimento econômico e, por isso, recorreu-se intensamente à ciência para resolver algumas dessas questões. Mas, quando o assunto é fazer “o meio de campo” entre o setor público e as pesquisas, a situação é mais delicada.

Historicamente, registramos um obstáculo nesse contato, mas, o que se observa, na prática, é a necessidade de alinhar as forças desses setores para alavancar os avanços científicos e tecnológicos.

Para promover essa sinergia, uma parceria da Secretaria de Estado de Planejamento com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes) garantiu o lançamento do edital Gestão e Competitividade para apoio a pesquisas de inovação voltadas ao desenvolvimento da indústria capixaba, para aumentar sua produtividade, e à melhoria da administração pública.

“Convivemos com inteligência artificial, machine learning, nanotecnologia, bigdata, blockchain, internet das coisas, enfim, uma lista extensa de possibilidades que chegariam para revolucionar o funcionamento da máquina pública e também da produção industrial.”

A chamada pública é uma iniciativa pioneira no Brasil no fomento a estudos de inovação para a gestão pública. Vamos destinar R$ 1,2 milhão para instituições, sejam elas públicas ou privadas, para buscar soluções e tornar serviços estatais ainda mais eficientes, ágeis e inteligentes.

Já existem várias experiências pelo mundo afora, mas ainda há muito a ser estudado dentro desses temas e o Espírito Santo vai sair na frente no desenvolvimento e na aplicação dessas inovações. O serviço público precisa avançar nessa direção.

Convivemos com inteligência artificial, machine learning, nanotecnologia, bigdata, blockchain, internet das coisas, enfim, uma lista extensa de possibilidades que chegariam para revolucionar o funcionamento da máquina pública e também da produção industrial.

Inclusive, como citamos em nosso edital disponível no site da Fapes, segundo o estudo “How Artificial Intelligence Could Transform Government”, publicado em 2017, a aplicação de tecnologias pode gerar uma economia de até US$ 41,1 bilhões por ano na administração pública em todo o planeta, com uma redução de até 1,2 bilhão de horas de trabalho.

Então, assumimos a missão de apoiar uma maior complementaridade e um trabalho em conjunto mais efetivo entre a academia e os setores produtivo e governamental para criar um ecossistema integrado que facilite e estimule a pesquisa e a inovação para resolver os problemas encontrados.


José Antonio Bof Buffon é diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), economista e professor do Departamento de Economia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade