24.4 C
Vitória
quarta-feira, 29 maio, 2024

Identificação do tipo de diabetes poderá ser realizados pelo SUS

Proposta em tramitação na Ales propõe inserir exame de diabetes no atendimento do SUS capixaba

Por Robson Maia

Um Projeto de Lei em tramitação na Assembleia Legislativa quer garantir aos pacientes diabéticos o acesso à realização do teste de Anticorpos Anti-Descarboxilase do Ácido Glutâmico (Anti-GAD), voltado para a identificação do tipo específico do diabetes, no Sistema Único de Saúde (SUS) capixaba. A medida, de autoria do deputado Pablo Muribeca (Patriotas), é analisada pelas Comissões competentes antes de ser votada em plenário.

- Continua após a publicidade -

Muribeca justifica que o teste Anti-GAD é importante porque determina se o paciente é insulinodependente, ou seja, se o tratamento adequado para ele é com insulina. Se não for, o tratamento deverá ser feito através da prescrição de medicamentos hipoglicemiantes.

“Vale salientar que o SUS não fornece esse tipo de exame, apenas a insulina de forma gratuita para os pacientes insulinodependentes, que devem comprovar tal condição através do teste. É uma situação paradoxal, pois o SUS reconhece a importância da insulina para os pacientes, mas não oferece o acesso ao exame, fundamental para a identificação do insulinodependente”, pontuou o parlamentar.

A proposta prevê que, terão acesso ao teste Anti-GAD os pacientes com diagnóstico de diabetes que apresentarem o atestado médico que comprove a doença. Caberá ao Poder Executivo estadual fornecer formas de garantir o exame aos pacientes.

Atualmente,, o Brasil é o quinto país do mundo com maior incidência de diabetes entre adultos (20 a 79 anos), com 16,8 milhões. Segundo dados da Secretaria de Saúde (Sesa), o Espírito Santo possui cerca de 250 mil pessoas com diabetes. A projeção dos principais órgãos ligados à saúde, como a OMS, é de que a doença afete 21,5 milhões de pessoas em todo Brasil em 2030.

O parlamentar explica que o diabetes é caracterizado pela produção insuficiente ou má absorção de insulina, hormônio que regula a glicose no sangue e garante energia para o organismo.

“A insulina tem a função de quebrar as moléculas de glicose (açúcar), transformando-a em energia para manutenção das células do nosso organismo. O diabetes pode causar o aumento da glicemia e as altas taxas podem levar a complicações no coração, artérias, olhos, rins e nervos. Em casos mais graves, pode levar à morte”, alerta Muribeca.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA