A greve no ES: os impactos na rotina do trabalhador

Piquetes em vários locais, com barreiras de fogo, chegaram a barrar o acesso à capital capixaba. Mas a polícia negociou com manifestantes e as passagens foram liberadas. Trabalhador encontra bastante dificuldade para pegar ônibus

A Greve no ES. Antes mesmo de amanhecer, muitos manifestantes já se reuniram em locais estratégicos de acesso à capital capixaba, impedindo a passagem mesmo de veículos e motos. Apesar de se ver ônibus circulando, a maioria passava com o letreiro escrito “Garagem” e não parava nos pontos. Nos bairros, os coletivo nem mesmo circulavam.

A Terceira ponte ficou completamente interditada por mais de duas horas, no sentido Vila Velha – Vitória. E também houve barreiras de fogo na região da Ilha do Príncipe, na capital e na Serra.

Entre 7h e 9h, apesar das Polícias Militar e Rodoviária terem garantido a liberação de pelo menos uma das vias dois acessos antes fechados, o trânsito ficou um caos. Os pontos de ônibus já estavam lotados e muita gente caminhando em direção ao trabalho.

 

 

 

 

A greve geral realizada em todo o Brasil como ato unificado nesta sexta-feira (14), desde a 0h, é promovido pelas centrais sindicais. No Espírito Santo, aderiram ao movimento o Sindicato dos Bancários (Sindibancários-ES), sindicatos de professores municipais, estaduais e federais, e trabalhadores da educação, Sindicatos dos Estivadores (Sindestiva) e da Orla Portuária (Suport).

O Sindicato dos Rodoviários também aderir à manifestação, mas deveria cumprir a decisão judicial de garantir a circulação de 70% dos ônibus em horário de pico – entre 6h e 9h da manhã e 17h e 20h da noite, e 50% nos demais horários. Não foi o que os trabalhadores encontraram nas ruas, na manhã desta sexta-feira. Muitos motoristas que saiam dos terminais estavam sendo abordados em meio ao trajeto e os passageiros obrigados a descerem dos coletivos. Ao todo, 11 sindicalistas foram detidos por esvaziar pneus dos ônibus.

   
Nos bancos, apenas os caixas eletrônicos estarão disponíveis aos clientes. nesta sexta-feira (14). Um ato unificado, promovido pelas centrais sindicais, está previsto para às 13h, em frente à Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes), localizada na Reta da Penha, em Vitória.

Partindo dos diversos pontos de piquetes, os manifestantes já se dirigem à Findes, onde será realizado o encontro de todos os grupos de protesto, que tem como principal crítica a Reforma da Previdência.

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!