24.4 C
Vitória
quarta-feira, 24 DE julho DE 2024

Feira aborda universo madeireiro pela primeira vez no ES

Evento, que acontece no “Polentão”, vai apresentar floresta comercial mais rápida do mundo

Por Anderson Neto

Com o objetivo de conectar toda a cadeia produtiva madeireira, enfatizando sua origem sustentável e renovável, acontece de 14 a 16 de setembro, em Venda Nova do Imigrante, a feira Espírito Madeira. O evento, que terá entrada gratuita, será no Centro de Eventos Padre Cleto Caliman, o “Polentão”.

- Continua após a publicidade -

A expectativa é de receber cerca de 3.000 visitantes por dia, que terão acesso a 84 estandes com expositores. Destes, 50  foram selecionados em edital da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes).

A organização está a cargo do Montanhas Capixabas Convention & Visitors Bureau, com realização conjunta com a Câmara Setorial Moveleira da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes). Além disso, conta com o apoio da Prefeitura de Venda Nova, Aderes, Amunes, Sebrae-ES, Sistema Faes/Senar/Sindicatos e Departamento de Ciências Florestais e da Madeira da Ufes.

O diretor-presidente do Montanhas Capixabas Convention Bureau, Valdeir Nunes, avalia a realização do evento, que é inédito no Estado.

“Além de altamente técnico, envolvendo desde a base do plantio da árvore até a entrega final no design (móveis, artes, entre outros), vamos receber vários expositores. Teremos capacitações, rodada de negócios, entretenimento, gastronomia, cervejarias e atrações culturais”, destaca Valdeir. A organização não quis apresentar uma previsão de volume de negócios, já que esta será a primeira edição.

A escolha de Venda Nova do Imigrante como sede da “Espírito Madeira” justifica-se pela acolhida do município, que representa uma das maiores regiões de reflorestamento comercial plantada do Estado – 12,4% da área total do município – com atividades madeireiras bastante ativas no Sul do Espírito Santo.

“Além da cobertura nativa da Mata Atlântica, nossa região é propícia para floresta comercial, e a Feira é importante para o público conhecer essas técnicas de plantio. Eucalipto e pinus ajudam a preservar mananciais e geram riquezas para a região”, afirma Valdeir Nunes.

Diversidade

Englobando diversos nichos do empreendedorismo capixaba, o setor madeireiro e moveleiro abrange desde o cercamento de áreas rurais até a produção de estacas para o cultivo de pimenta-do-reino, além de ter aplicações na construção civil, acabamento de obras, embalagens, estofados, colchões e caixões, entre outras.

O empresário de marcenaria de alto padrão e presidente da Câmara Setorial Moveleira da Findes, Antônio Nicola Brazolino, enfatiza que o público pode aguardar um evento bem estruturado, com grandes parceiros e apoiadores.

“A Feira tem o propósito de despertar a importância da questão florestal até o alto design. Nossos grandes parceiros e apoiadores geram credibilidade ao evento, que promete ser sucesso”, espera Nicola.

Case

No dia 16, a Forest Group vai apresentar seu projeto de desenvolvimento genético e evolução do mogno híbrido, uma variedade com origem asiática que promete revolucionar a produção de madeira nobre de floresta plantada. Com características únicas, a espécie se destaca por sua velocidade, produtividade, qualidade e lucratividade, trazendo vantagens significativas para o setor.

Embora já presente em Estados como Bahia, Minas Gerais e São Paulo e na Amazônia, o mogno híbrido ainda não tem nenhum plantio no Espírito Santo. No entanto, a Forest Group demonstra interesse em fechar parcerias e expandir suas atividades para o Estado, que oferece um grande potencial para a silvicultura e toda a cadeia da madeira.

De acordo com o sócio-diretor da empresa, Magno Welsing, o mogno híbrido se destaca como uma alternativa viável, além de estar em conformidade com as regulamentações nacionais e internacionais para madeira legalizada. O destaque é a recente regulação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Ministério da Fazenda, que permite a tokenização dos títulos florestais, aumentando a comercialização e liquidez desses ativos.

“O nosso cultivo é irrigado, por segurança hídrica e aceleração do desenvolvimento, além de toda a técnica de poda e manejo adequado desenvolvido pela Forest Group nos últimos 24 anos. Dentro de cinco anos, conseguimos madeira com diâmetro, qualidade e cerne maduro. Obtém-se aumento considerável de cerne em relação ao volume total do tronco (até 97%)”, destaca Welsing.

Serviço:

“Espírito Madeira- Design de Origem 2023”
Data: 14 a 16 de setembro
Local: “Polentão”, em Venda Nova do Imigrante

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 222

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA