21 C
Vitória
terça-feira, 20 outubro, 2020

Fábio Faria entrega ao Planalto PL dos Correios e prevê privatização em 2021

Leia Também

Brasil tem prioridade no recebimento de vacina russa, diz fundo financiador

"Uma pequena porcentagem de pessoas pode ter febre, mas até agora não tivemos complicações graves", acrescentou Dmitriev

Mercado financeiro projeta queda de 5% na economia este ano

A previsão do mercado financeiro para a queda da economia brasileira este ano ficou em 5%

Eleições 2020: Brasil tem 147,9 milhões de eleitores aptos a votar

Mulher, com ensino médio e de 35 a 59 anos é o perfil majoritário do eleitor que votará nas eleições de 2020, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O projeto de lei permite que os serviços prestados no âmbito do Sistema Nacional de Serviços Postais sejam explorados em regime privado

Por Emilly Behnke e Jussara Soares (AE)

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, entregou nesta quarta-feira, 14, ao Palácio do Planalto minuta de projeto de lei que trata da privatização dos Correios, que pode ocorrer já em 2021, segundo estimou o ministro. O texto foi entregue ao ministro da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira, e será analisado pela Subchefia para Assuntos Jurídicos e em seguida pela Casa Civil. Depois, a proposta será então enviada ao Congresso.

“Estamos falando para 2021 o projeto chegar (no Congresso), no começo do ano que vem. Até o final de 2021, a ideia é de votarmos e que os Correios estejam prontos para o processo de privatização”, disse. Faria justificou que o projeto vem para “melhorar a capacidade de entrega dos Correios”. Ele ponderou, contudo, que o processo de privatização não ocorrerá de forma brusca. O ministro também disse que o texto trata “mais sobre princípios do que regras”.

A proposta entregue pelo ministro cria a Agência Nacional de Comunicações (Anacom), que deverá substituir a atual Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A nova agência irá regular os serviços do Sistema Nacional de Serviços Postais.

De acordo com o Ministério das Comunicações, dentre as diretrizes estabelecidas na proposta de regulação do Sistema Nacional de Serviços Postais, que permitirá a privatização da estatal, está a obrigatoriedade, por parte da União, de garantia da prestação do serviço postal universal por meio de empresa estatal; celebração de contratos de concessão comum; ou celebração de contratos de concessão patrocinada.

O projeto de lei permite que os serviços prestados no âmbito do Sistema Nacional de Serviços Postais sejam explorados em regime privado, respeitando, porém, o artigo da Constituição que estabelece à União manter o serviço postal, o que será delegado ao Operador Postal Designado no decorrer do processo de privatização dos Correios.

Como mostrou o Estadão, o governo trabalha com um leque de opções para a privatização dos Correios. Entre as possibilidades estão a venda de participações e uma delegação dos serviços, de forma similar a uma concessão. A divisão de concessões por região, como foi feito na privatização do sistema de telefonia, não está descartada. Só após a conclusão dos estudos tocados paralelamente é que se fará a recomendação do modelo, que pode contar até com uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). O que o governo espera é que, com o projeto de lei, haja segurança jurídica para encaminhar a privatização.

“Acabamos de entregar agora para o secretário de assuntos jurídicos e ministro da SAJ, ministro Jorge, o projeto do PL dos Correios. Depois da SAJ ele vai para Casa Civil para depois ser enviado para o Congresso Nacional. É o que cabia a parte do Ministério das Comunicações foi feito. Esse projeto que vai dar condições de entrar no processo de privatização para o ano de 2021”, disse Faria.

Segundo Faria, estudos da consultoria contratada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para viabilizar o processo de privatização também serão entregues ao Congresso. A previsão é que a análise da consultoria esteja concluída em cerca de 120 dias.

“O Congresso Nacional deve se debruçar em relação a esse tema. É lá a arena onde serão debatidos todos os requisitos necessários, tratar da universalização das entregas dos Correios, em relação aos funcionários, tudo isso será tratado com bastante cuidado no Congresso Nacional”, disse.

Faria afirmou que a privatização não será feita de modo brusco e que os servidores da estatal poderão debater o projeto com os congressistas. “Ninguém vai fazer esse processo de uma maneira brusca. Ele será feito no momento certo, o Congresso com certeza vai saber ser justo em relação a esse tema”, disse. “A privatização vai depender da velocidade do Congresso no ano que vem”, completou.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Brasil tem prioridade no recebimento de vacina russa, diz fundo financiador

"Uma pequena porcentagem de pessoas pode ter febre, mas até agora não tivemos complicações graves", acrescentou Dmitriev

Ocupação de UTI no Estado de SP é a mais baixa da pandemia

"Estamos no controle da pandemia, mas a vacina é e será a única maneira de retornarmos ao normal", completou o secretário Gorinchteyn

Mundo chega a mais de 40 milhões de contaminações por covid-19

O aumento do número de infecções pode ser explicado em parte pela elevação do número de testes de diagnóstico em alguns países

Rússia inicia transferência tecnológica para produzir vacina no Brasil

Acordo entre o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e a farmacêutica União Química pode permitir que a empresa produza no Brasil, ainda este ano, a vacina contra covid-19 desenvolvida na Rússia.

Mercado financeiro projeta queda de 5% na economia este ano

A previsão do mercado financeiro para a queda da economia brasileira este ano ficou em 5%

Defensoria pública de SP pede ao STJ habeas corpus coletivo para idosos presos

O defensor Rafael Muneratti, aponta ainda que pouquíssimos os pedidos de prisão domiciliar foram atendidos

ES Brasil Digital

Capa ES Brasil 181
Continua após publicidade

Fique por dentro

Guedes: estamos próximos de assinar acordo com EUA para evitar dupla taxação

Segundo o ministro, as novas reformas e novas fronteiras de investimento em diferentes setores possibilitarão o crescimento

Guedes diz que pode desistir de imposto sobre transações digitais

"A Febraban é que mais subsidia e paga todos os economistas brasileiros para dar consultoria contra esse imposto", afirmou Guedes

Rebanho bovino alcançou 214,7 milhões de animais em 2019, afirma IBGE

O Estado de Mato Grosso manteve a liderança na criação de gado, com 31,7 milhões de cabeças, o equivalente a 14,8% do rebanho nacional

Projeção do Focus para PIB de 2020 passa de -5,02% para -5,03%

No caso de 2021, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 4,53%, ante 5,50% de quatro semanas antes

Vida Capixaba

Instituto capixaba investe 1 milhão de reais em startups

Os futuros empreendedores capixabas serão contemplados com o investimento de R$1 milhão, para quem deseja abrir seu próprio negócio.

Um dia No Parque

O parque Estadual da Pedra Azul, em Domingos Martins, está participando do Festival um Dia no Parque.

Crianças entrevistam ministro Marcos Pontes em bate-papo especial

Em celebração ao Dia das Crianças e como parte da programação do Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovações (MNCTI), o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) organizou uma edição especial do Bate-papo Ciência & Tecnologia no Dia a Dia

IEL-ES está com 78 vagas para estágio na Grande Vitória

O IEL-ES está com 78 vagas de estágio em aberto nos municípios de Cariacica, Serra, Vila Velha e Vitória.
Continua após publicidade