24.9 C
Vitória
quarta-feira, 10 agosto, 2022

ES é contemplado por leilão de transmissão de energia

O leilão tem como objetivo a manutenção de 5.425 km de linhas de transmissão e de 6.180 MVA. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Três empreendimentos capixabas em Viana e João Neiva participam do leilão previsto para ser um dos maiores do setor desde 2019

Por Amanda Amaral

O Espírito Santo será contemplado no próximo leilão de transmissão de energia do Governo Federal por meio de três empreendimentos localizados em Viana e João Neiva, o que prevê benefícios para dez municípios do Estado. O certame está previsto para acontecer no dia 30 de junho, na sede da B3, em São Paulo. É um dos maiores do setor a serem realizados desde 2019.

O objetivo é a manutenção de 5.425 km de linhas de transmissão e de 6.180 megavolt-ampéres (MVA) em capacidade de transformação de subestações. Serão licitados 13 lotes para a construção.

A expectativa total de investimento é de R$ 15,3 bilhões. Destes, em torno de 80% (R$ 12,27 bilhões) serão para transmissão de grande porte, capaz de escoar energia renovável fotovoltaica em Minas Gerais, estado contemplado nos lotes 1, 2 e 3.

Espírito Santo

Este último lote inclui três empreendimentos localizados no Espírito Santo. São eles: Subestação (SE) João Neiva (2), SE Viana e SE Viana 2. Contando com as instalações mineiras, o investimento previsto é de 3.653.607.724,22 e a expectativa é gerar 7.307 empregos.

Um dos empreendimentos do leilão está localizado em João Neiva. Foto: Prefeitura de João Neiva

Serão construídos 1.139 quilômetros de rede com potência de 2.250 MVA, que beneficiarão os municípios capixabas de João Neiva, Viana, Aracruz, Ibiraçu, Fundão, Santa Teresa, Santa Leopoldina, Serra, Cariacica e Domingos Martins.

No Brasil

Também serão contemplados os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

Para todas as intervenções previstas no Brasil, a expectativa é gerar 31.697 empregos diretos durante o período de construção das instalações. O Prazo para operação comercial dos empreendimentos varia de 42 a 60 meses, para concessões por 30 anos, contados a partir da celebração dos contratos.

Os leilões serão operacionalizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e foram planejados pelo Ministério de Minas e Energia (MME), responsável por aprovar a expansão da transmissão por meio do Plano de Outorgas de Transmissão de Energia Elétrica, num horizonte de no mínimo cinco anos.

Com informações do Governo Federal. 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade