20.7 C
Vitória
terça-feira, 25 junho, 2024

“Dia D” do Desenrola Brasil renegocia R$ 433 milhões

Desconto médio oferecido na ação ficou em 86,3% em relação ao valor original da dívida

Cerca de 72 mil pessoas renegociaram R$ 433 milhões em dívidas no Dia D – Mutirão Desenrola, realizado nessa quarta-feira (22), divulgou o Ministério da Fazenda. Acrescentou que o valor negociado superou em sete vezes a média diária da última semana.

Ao todo, 150 mil contratos foram renegociados. A diferença ocorre porque há pessoas com mais de uma dívida. O desconto médio oferecido no mutirão ficou em 86,3% em relação ao valor original da dívida. O valor médio parcelado somou R$ 1.087. O valor médio para pagamentos à vista totalizou R$ 262.

- Continua após a publicidade -

Nos momentos de pico de acessos à plataforma do Desenrola na internet, informou a Fazenda, houve mais de duas renegociações por segundo. Desde segunda-feira (20), quando começou o parcelamento de dívidas entre R$ 5 mil e R$ 20 mil, o Desenrola ocupou um dos três primeiros lugares de buscas no Google. Ontem (22), o programa foi o termo mais pesquisado, com mais de 200 mil buscas.

Durante o mutirão, os bancos funcionaram em horário estendido. As agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil abriram uma hora mais cedo. O Dia D – Mutirão Desenrola teve como objetivo incentivar as renegociações, principalmente da parcela da população com dificuldade de acesso à internet e que precisa ir a uma agência bancária.

A mobilização representou uma parceria do governo federal com bancos privados e públicos, como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, e demais entidades credoras participantes do programa. O atendimento voltado ao público do Desenrola continuará pelos canais dos bancos e demais credores do programa.

Parcelamento

Na atual fase do Desenrola, devedores da Faixa 1, que ganham até dois salários mínimos, podem renegociar débitos de até R$ 20 mil com desconto e parcelamento em até 60 meses, sem entrada, com pagamento da primeira parcela somente em 2024 e juros de 1,99% ao mês.

O programa abrange dívidas negativadas entre 1º de janeiro de 2019 e 31 de dezembro de 2022. Entre os tipos de débitos estão dívidas bancárias como cartão de crédito, e as contas atrasadas de outros setores: energia, água e comércio varejista.

Para acessar a plataforma de renegociação, o consumidor precisa ter cadastro no Portal Gov.br, com conta nível prata ou ouro e estar com os dados cadastrais atualizados. Em seguida, o devedor terá de escolher uma instituição financeira ou empresa inscrita no programa para fazer a renegociação. Em seguida, bastará selecionar o número de parcelas e efetuar o pagamento.

Lançado em 17 de julho, o Desenrola Brasil permitiu que mais de três milhões de brasileiros renegociassem cerca de R$ 26 bilhões em dívidas. Como parte do programa, os principais bancos do país ainda retiraram automaticamente 10 milhões de registros de negativação de pequenas dívidas, com valor de até R$ 100.

A primeira fase do programa, da Faixa 2, permitiu a renegociação de dívidas de qualquer valor com bancos e demais instituições financeiras por quem ganha até R$ 20 mil. Diferentemente da Faixa 1, as renegociações não eram pedidas pela plataforma do Desenrola, mas pelos canais de atendimento dos bancos. Com informações de Agência Brasil

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA