21 C
Vitória
sexta-feira, 19 abril, 2024

Desoneração de combustíveis depende do petróleo, câmbio e ICMS, diz Mercadante

O ex-ministro destacou que o preço internacional do petróleo tem caído e disse apostar em uma melhora no nível do câmbio a partir de janeiro

Questionado nesta quinta-feira (8), se o novo governo vai prorrogar a desoneração de PIS/Cofins sobre os combustíveis – que se encerra em 31 de dezembro – o coordenador dos Grupos Técnicos do gabinete de transição, Aloizio Mercadante, respondeu que essa decisão depende do preço internacional do petróleo, da dinâmica do câmbio e do imbróglio com os Estados sobre a redução também do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas bombas.

“A discussão sobre (a lei que criou um teto para) o ICMS está no Supremo Tribunal Federal (STF) e vamos aguardar uma decisão se vai flexibilizar a tarifa ou não. Estamos bastante atentos a isso. A prorrogação da desoneração de PIS/Cofins sobre combustíveis também depende disso”, afirmou Mercadante, em entrevista coletiva no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB).

- Continua após a publicidade -

Caso a medida seja renovada em 2023, a renúncia fiscal seria de R$ 52 bilhões, por isso os integrantes do GT de Economia da transição já sinalizaram que a cobrança de PIS/Cofins deve retornar de forma gradual.

“É um problema, porque a situação fiscal está muito difícil. O País está em colapso fiscal, Bolsonaro quebrou o Estado”, acrescentou Mercadante.

O ex-ministro destacou ainda que o preço internacional do petróleo tem caído e disse apostar em uma melhora no nível do câmbio a partir de janeiro para reduzir a pressão sobre os preços dos combustíveis.

Ele também voltou a defender investimentos para aumentar a capacidade de refino de petróleo bruto da Petrobras, reduzindo assim a necessidade de importação de gasolina e diesel. “Tentaremos ‘abrasileirar’ preço do combustível no próximo governo”, completou.

Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA