21 C
Vitória
quinta-feira, 25 DE julho DE 2024

Deputados vão a Bruxelas denunciar Alexandre de Moraes

Parlamentares brasileiros foram convidados para participar do evento ‘Brasil: a repressão de Lula ao Estado de Direito’, na Bélgica

Um grupo de deputados bolsonaristas participa nesta terça-feira, 9, do evento intitulado “Brasil: a repressão de Lula ao Estado de Direito”, realizado em Bruxelas, na Bélgica. A reunião foi impulsionada pelas críticas do dono do X (antigo Twitter), Elon Musk, ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, com denúncias de “censura” e “perseguição política” sofrida pela direita no País.

Segundo Herman Tertsch, membro do Parlamento Europeu e presidente do grupo conservador ECR (conservadores e reformistas europeus), que promove o evento, o objetivo é discutir a “tendência à repressão total” do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do ministro do STF. De acordo com Tertsch, o espaço servirá para “denunciar” a realidade “autoritária” do Brasil.

- Continua após a publicidade -

Já confirmaram presença os deputados Eduardo Bolsonaro (PL-SP), Bia Kicis (PL-DF), Júlia Zanatta (PL-SC), Gustavo Gayer (PL-GO), Coronel Ulysses (União-AC) e Marcel Van Hattem (Novo-RS).

Em vídeo publicado por Kicis no X, Gayer diz que no Brasil há “violações aos direitos humanos e perseguição política” e que, se necessário, os congressitas levarão a mensagem “para o mundo inteiro”. Criticando a imprensa nacional, Eduardo Bolsonaro diz que a missão da comitiva “é levar a verdade” não só para Bruxelas, mas também para Haia, na Holanda, onde fica a sede do Tribunal Penal Internacional.

A deputada federal afirmou que a viagem é “a convite” de parlamentares europeus para que os congressistas bolsonaristas possam compartilhar as “experiências sobre o momento político no Brasil”. Bia Kicis ainda acusa o governo Lula de “tirania”.

De acordo com o presidente do grupo de conservadores e reformistas, o evento será voltado para a “defesa da democracia e da liberdade de expressão no Brasil, que estão seriamente ameaçadas”. Segundo ele, Moraes faz “ataques” que são apoiados por líderes europeus, como o presidente da França, Emmanuel Macron, que não “denunciam a deriva antidemocrática”.

Esta é a segunda vez que a oposição viaja para fora do País para denunciar Moraes e a atuação do STF. Em março, parlamentares estiveram em Washington, nos Estados Unidos, para falar sobre os supostos “abusos do poder Judiciário brasileiro contra a oposição”, como declarou a deputada estadual Débora Menezes (PL-AM), que participou da viagem.

A crise entre Musk e Moraes ocorreu após o empresário utilizar o X para tecer críticas ao ministro por decisões para a suspensão de alguns perfis na rede. Depois de afirmar que o magistrado deveria “renunciar ou sofrer um impeachment” e ser incluído no inquérito das milícias digitais como investigado, o bilionário se referiu a Moraes como “ditador do Brasil” e afirmou que o juiz do Supremo possui “Lula na coleira”. Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 222

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA