Conheça os riscos dos receptores piratas de TV

Receptores ilegais de sinal televisivo não garantem imagens de qualidade

Muitas pessoas estão aderindo aos receptores de sinal televisivo via streaming de internet, como o IPTV, HTV ou TV Box, para ter acesso a canais de filmes, entretenimento e esportes por um preço menor e sem a necessidade de uma assinatura de TV a cabo. Mas, para que os momentos de lazer não se tornem uma dor de cabeça, é fundamental investir em receptores originais, que atendam aos padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Segundo especialista em Tecnologia da Loga Internet, Renato Souza, o Internet Protocol TV (IPTV) permite a transmissão de sinais de TV graças a servidores que transformam os canais de vídeo em streaming e transmitem para os receptores via internet. O problema é que muitos receptores piratas estão ligados a servidores localizados em diversas partes do mundo, como na China, o que pode atrapalhar a experiência do usuário.

“Essa longa distância pode proporcionar uma demora na transmissão dos dados e as imagens podem chegar atrasadas. É o famoso delay, que é ainda mais perceptível em eventos ao vivo, como jogos de futebol. As imagens de receptores piratas também podem ser de má qualidade e até travar, em função da distância que aumenta a probabilidade de falhas”, explicou o especialista.

Quem opta por um receptor pirata também não tem garantia de um serviço de qualidade. Como os servidores podem estar em qualquer lugar do mundo, não existe um canal de comunicação para o cliente entrar em contato em caso de dúvidas, solicitações ou reclamações.

O especialista em Tecnologia Renato Souza (Fotografia – Divulgação)

“Já os receptores originais são regulamentados pela Anatel, que fiscaliza e cobra a qualidade do serviço, e possuem o servidor dentro de uma rede, o que facilita a resolução de problemas”, finaliza Renato.

Conteúdo Publicitário