24.4 C
Vitória
quinta-feira, 27 janeiro, 2022

Caravelas-portuguesas oferecem risco à saúde dos banhistas na Serra

caravelas portuguesas na Serra
Mesmo mortas, as caravelas-portuguesas oferecem risco de lesões na pele e no sistema nervoso. (Foto: Divulgação/Semma-PMS)

O contato com a caravela, mesmo depois de morta, provoca lesões na pele e no sistema nervoso

Por Wesley Ribeiro 

Um organismo vivo, conhecido como caravelas-portuguesas, foi encontrado na praia de Manguinhos, na Serra, na última semana. O contato com a caravela, mesmo depois de morta, provoca lesões na pele e no sistema nervoso, além de dores, coceira, vermelhidão e até queimaduras graves, de terceiro grau.

As informações são da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano da Serra (Semma) que emitiu aviso sobre o aparecimento desses organismos. Segundo o documento, as caravelas não atacam banhistas, mas o contato acidental pode acontecer, especialmente se o banhista encontrar uma população desses organismos.

“Como a espécie é colorida, ela chama atenção das crianças, que tentam pegá-las. O aparecimento desses organismos é esperado para este período do ano. Este da foto foi avistado na praia de Manguinhos, mas é necessário ter atenção em todo município”, diz um trecho do aviso.

Ao avistar a presença deles na areia é importante manter distância. Inclusive, os banhistas devem evitar entrar na água no caso do aparecimento de um grande número desses animais.

Leia a o aviso na íntegra:

A secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano da Serra alerta a população sobre o aparecimento dos organismos vivos conhecidos como caravelas-portuguesas nas praias do município. É importante evitar ao máximo o contato, uma vez que eles queimam a pele como mecanismo de defesa.

Como a espécie é colorida, ela chama atenção das crianças, que tentam pegá-las. O aparecimento desses organismos é esperado para este período do ano. Este da foto foi avistado na praia de Manguinhos, mas é necessário ter atenção em todo município.
Ao avistar a presença deles na areia é importante manter distância. No caso do aparecimento de um grande número desses animais é recomendado também evitar entrar na água.

Caso o contato não seja evitado e a queimadura ocorra, é recomendado lavar a região com água do mar, evitando o contato das mãos e depois utilizar vinagre para neutralizar a ação da toxina. Se as dores não passarem, um médico deve ser consultado.

Vale destacar também que as caravelas não atacam banhistas. Contudo, o contato com uma, mesmo depois de morta, provoca lesões na pele e no sistema nervoso. Esse contato com os tentáculos ou por toxina é dolorido e causa desde coceiras e vermelhidão até queimaduras graves, de terceiro grau.

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade