Captura e comercialização de caranguejos estará proibida a partir de hoje

A cata e a comercialização dos caranguejos-uçá estará proibida a partir desta terça-feira (28), inclusive o que for proveniente de outros estados, e se estende até a próxima segunda-feira (03) em todo o território do Espírito Santo. Este processo faz parte da andada, a terceira etapa de desenvolvimento do crustáceo.

Ainda neste ano, nos meses de outubro e novembro, começará o período de defeso, que é a troca da carapaça do caranguejo. A proibição é necessária para preservação da espécie e desenvolvimento do animal.

A coordenadora de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente de Vitória, Priscila Ligia Alvarino, informou que “a preservação do caranguejo é importante para que a espécie não entre em extinção”.

Além disso, a coordenadora reforça que a proibição ajuda a manter a quantidade de caranguejos, que é fonte de sustento de muitos catadores que dependem da venda regulamentada dos animais para garantir a renda familiar.

Abordagens

Nos dois primeiros períodos do ciclo reprodutivo do crustáceo – 28 de janeiro a 04 de fevereiro e 27 de fevereiro a 05 de março, equipes da Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam) realizaram uma intensa programação de visitas e abordagens educativas nos quiosques da Curva da Jurema e Camburi, bares, restaurantes e também em escolas de ensino infantil e fundamental da Grande Goiabeiras.

Agentes de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam) fizeram abordagens nos estabelecimentos e escolas

Ao todo, foram abordadas 3.480 pessoas e visitadas seis escolas da rede municipal de ensino. Nas abordagens, os técnicos orientaram a respeito da importância de não acontecerem a cata e a comercialização dos crustáceos durante a andada, visando, principalmente, proteger a espécie, excluindo riscos de extinção.

De acordo com a portaria nº 52/2003 do Ibama, o crustáceo volta a ser protegido por legislação federal e os infratores, que forem flagrados capturados, comercializando ou consumindo o animal durante a andada será encaminhado para a Delegacia de Crimes Ambientais e sofrerá as penalidades, que podem ser pagamento de multas e até prisão.

Priscila ressalta que é importante que haja cooperação da população neste momento. “Neste período, é de suma importância que a população nos ajude a fiscalizar, pois vários pontos podem comercializar o crustáceo e esta prática é ilegal”, frisou.

Acasalamento

A andada é a época em que o crustáceo faz o acasalamento e a desova, o que o torna uma presa fácil para os catadores. Por isso, é necessário respeitar o tempo de reprodução para que o ecossistema manguezal não seja prejudicado.

Na andada, é proibido capturar, manter em cativeiro, fazer o transporte, beneficiamento, armazenamento e consumir ou comercializar o caranguejo uçá. A proibição está embasada na portaria Seama nº 012-R, de 28 de dezembro de 2016.

Após a fecundação, a fêmea carrega externamente em seu abdome uma massa de ovos (bolsa ovígera); as larvas são liberadas na água e crescem no manguezal, tornando-se adultos em aproximadamente sete anos, alcançando o tamanho de 5 a 6 cm.

Denúncias

As denúncias podem ser feitas no Fala Vitória 156 e também na Polícia Ambiental, por meio do telefone 3636-0173, e no Iema, pelo telefone 3636-2597.

Fonte: Prefeitura Municipal de Vitória (PMV)
Crédito fotos: Ciência Hoje / Divulgação Semmam

Conteúdo Publicitário

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome