Oito candidatos à Presidência já aprovados pra corrida presidencial

Alckmin (PSDB), Álvaro Dias (Pode), Marina Silva (Rede), Guilherme Boulos (Psol), Vera Lúcia (PSTU), Meirelles (MDB), Bolsonaro (PSL) e Manuela D’Ávila (PCdoB) estão definidos por seus partidos e coligações na disputa pela Presidência do Brasil.

Na corrida pela disputa eleitoral, oito candidatos à Presidência já tiveram seus nomes aprovados poer seus partidos e coligações. Nesta sexta-feira (3), o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB, anunciou que terá como companheira de chapa a senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS), que disputaria a reeleição no Senado. Em nota publicada no portal do PSDB, o tucano destacou a importância da presença feminina no cenário político nacional.
A definição da chapa do Podemos tirou da disputa presidencial o economista Paulo Rabello de Castro (PSC), que já havia sido aprovado na convenção nacional, no último dia 20 de julho. No início desta semana, a cúpula dos dois partidos fechou uma aliança e Rabello será o candidato a vice do senador paranaense Álvaro Dias (Pode).
A Rede fechou coligação com o PV e a candidata Marina Silva terá como vice o ex-deputado Eduardo Jorge, que disputou a eleição presidencial de 2014. O presidente nacional do PV, José Luiz Penna, disse que a prioridade do partido é eleger deputados federais, mas destacou a identidade ideológica entre as duas siglas.
O PSOL e o PSTU saíram das convenções nacionais com a chapa completa. Entre os candidatos á Presidência, o Psol vai disputar a eleição com Guilherme Boulos e Sonia Guajajara, em uma aliança com o PCB. Já o PSTU lançou uma chapa puro-sangue: Vera Lúcia e Hertz Dias.

Desistência à candidatura

O MDB confirmou ontem (2) a candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles a presidente da República. Após a convenção da sigla, o medebista também declarou preferência por uma mulher na composição da chapa. A direção do partido negociava com a senadora Marta Suplicy (MDB), mas ela comunicou nesta sexta-feira (3) que vai se aposentar da política em protesto a Michel Temer. Ela disse que não concorrerá à reeleição ao Senado nem a outros cargos.

Na última quarta-feira (1º), o PCdoB aprovou a candidatura de Manuela D’Ávila à Presidência da República, mas a deputada estadual gaúcha é o nome desejado pelo PT para compor a chapa na corrida presidencial. O PT se reunirá em São Paulo, nesta sábado.

A tendência é que o partido formalize a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde abril.Caberá ao Supremo Tribunal Federal (STF) decidir se Lula poderá concorrer. O julgamento deverá ocorrer antes do dia 15 deste mês, prazo final para registrar as candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Suspense de candidatos à Presidência

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) respondeu a perguntas de apoiadores ao vivo pelo Facebook, na noite desta quinta-feira (02). A transmissão começou às 22h20 e se estendeu por mais de duas horas. Ao ser questionado sobre quem será o candidato a vice em sua chapa, ele repetiu que a advogada Janaína Paschoal e o príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança são os principais nomes. Afirmou ainda que o general Hamilton Mourão (PRTB) “corre por fora”.

Para este sábado (04) está marcada a convenção do Novo, que deve formalizar a candidatura de João Amoêdo a presidente da República. E o Patri também se reúne amanhã e, segundo nota publicada no portal do partido, entre os pré-candidatos prevalece o nome do deputado federal Cabo Daciolo (RJ). O PSB, o PRTB e o PPL realizam convenção nacional neste domingo (5), mas somente os dois últimos devem lançar candidatos a presidente – Levy Fidelix e João Vicente Goulart, respectivamente.

Agora é aguardar as últimas articulações políticas, estudar os candidatos e em outubro ir às urnas para quem irá ocupar o Palácio Alvorada nos próximos quatro anos. Residência oficial do presidente da República, é uma mais importantes edificações do modernismo arquitetônico, projetado por Oscar Niemeyer. O formato das colunas presentes na fachada do prédio deu origem ao símbolo e emblema da cidade de Brasília. O acervo artístico do Palácio reúne obras de arte de artistas consagrados, brasileiros e estrangeiros.

Conteúdo Publicitário