20 C
Vitória
quarta-feira, 21 outubro, 2020

Bolsonaro volta a estimular Renda Brasil

Leia Também

Agea Saneamento vence leilão de concessão de esgotamento sanitário de Cariacica e Viana

A empresa Agea Saneamento, venceu nesta terça-feira dia 20, o leilão de concessão com uma proposta de tarifa de R$0,99 por m³ de esgoto faturado, o que representa um desconto de 38,12% sobre o valor estabelecido no Edital.

STF confirma não ser obrigatório portar título de eleitor para votar

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou, por unanimidade, que o eleitor não pode ser impedido de votar caso não tenha em mãos o título de eleitor, sendo obrigatória somente a apresentação de documento oficial com foto.

Número de novas empresas volta a crescer no Espirito Santo

O Espirito Santo voltou a registrar o crescimento de novas empresas.

O governo também não quis deixar um vácuo aberto para os congressistas, que já têm projetos para reforçar o Bolsa Família

Por Idiana Tomazelli, Adriana Fernandes e Emilly Behnke (AE)

Não durou nem 24 horas o fim do Renda Brasil decretado pelo presidente Jair Bolsonaro. O relator do Orçamento de 2021, senador Marcio Bittar (MDB-AC), recebeu cartão verde do próprio presidente para a retomada das discussões sobre um novo programa social pós-pandemia, com a inclusão da proposta no Orçamento. A ideia é que o programa ressurja pelo Congresso, como antecipou na quarta-feira, 16, reportagem do Estadão

O acerto foi feito pela manhã e, à tarde, Bittar já estava em reuniões com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir as possíveis fontes de financiamento do programa – justamente o motivo que levou o presidente a afirmar, na véspera, que estava proibido falar no Renda Brasil até o final de 2022.

A mudança de rumo vem depois de o Renda Brasil ter sido sepultado num primeiro momento por Bolsonaro, que ficou insatisfeito com repetidos anúncios de ações em estudo feitos pela equipe econômica sem que houvesse já o acerto político daquela medida. O estopim foi a ideia do time de Guedes de não dar reajuste aos benefícios da Previdência (aposentadorias, pensões, auxílios doença e salários-família) por dois anos.

O movimento do presidente foi visto com preocupação por parlamentares, com o risco de o ônus de medidas duras ficar na conta do Congresso e o bônus, com o presidente. O governo também não quis deixar um vácuo aberto para os congressistas, que já têm projetos para reforçar o Bolsa Família.

Bittar adotou estratégia inversa à que vinha sendo usada pela equipe econômica e lideranças do Congresso e evitou antecipar valores e de onde sairiam os recursos para viabilizar a nova tentativa de tirar o programa do papel. “Para evitar informações desencontradas, que vazam, em que pese terem lógica mas acabam sendo abortadas, peço desculpas mas não vou fazer nenhum tipo de especulação enquanto ela (proposta) não estiver pronta”, disse Bittar, que é relator também da PEC do Pacto Federativo, que inclui medidas de ajuste nas contas públicas.

O senador prometeu até a próxima terça-feira a apresentação de uma proposta para o novo programa, que pode ser criado ainda sem uma previsão inicial de recursos. A ideia é garantir sua existência e a rubrica orçamentária necessária para destinar os valores, deixando a discussão de revisões em outras despesas para mais adiante.

Segundo Bittar, até lá a ideia é manter a discussão “dentro do governo e dentro do Congresso”. “É coisa que a esquerda sabe fazer desde criança. Primeiro discute, faz assembleia, reunião interna, bem disciplinadamente, bem hierarquizadamente, e aí apresenta a ideia.”

Sacrifícios

Indicado para a presidência da Comissão Mista de Orçamento, o deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) disse que o novo programa não pode ser feito com “sacrifício de uns, enquanto outros passam incólumes”. Segundo ele, o relator terá terá de apontar a fonte de financiamento com corte de gastos e transparência. “Quero saber de onde o governo vai tirar para dar R$ 300 (valor atual do auxílio emergencial). Sei que nessa questão vamos ter muita dificuldade”, afirmou. Para ele, é preciso evitar qualquer expectativa de que o governo vai elevar despesas sem uma nova fonte de recursos.

Governo e relator esperam abrir espaço no Orçamento com a PEC do Pacto Federativo, que prevê uma série de medidas de ajuste, principalmente para conter gastos com o funcionalismo. Bittar reforçou que a medida pode abrir um espaço de R$ 20 bilhões a R$ 30 bilhões no Orçamento, no período de dez anos. Ele também confirmou que em seu relatório trará sugestões para reduzir gastos com as Câmaras municipais. A maior parte das medidas é voltada para os gastos de pessoal e deve trazer economia de R$ 3,6 bilhões com cortes nas Câmaras municipais.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Conselho de Ética: investigação contra Chico Rodrigues depende de Alcolumbre

A estratégia da cúpula do Senado é derrubar o afastamento determinado pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF)

Tebet sobre indicações ao STF: ‘problema está muitas vezes no nome apresentado’

Segundo a presidente da CCJ, "não tem uma fórmula perfeita, mas esta PEC é um pouco melhor do que aí está, sem dúvida nenhuma"

‘Fofoca’, diz Bolsonaro sobre especulação de que Maia pode virar ministro

"Rodrigo Maia é chefe do Legislativo e vai continuar sendo tratado, da minha parte, como chefe do Legislativo", disse o Presidente

Bolsonaro volta a dizer que vacina contra covid-19 não será obrigatória

Na última sexta-feira, 16, o Presidente já havia sinalizado que o governo não iria obrigar a população a se vacinar

Bolsonaro: fala de Mandetta sobre “trezoitão” iria contra profissão de médico

Hoje, quando questionado por apoiadores sobre a suposta declaração, o chefe do Executivo ressaltou que não tinha conhecimento do assunto

Gilmar: levar ações penais para o plenário é bom, mas acho que não dará certo

As ações penais passarão a ser levadas para análise do plenário, formado pelos onze integrantes do tribunal

ES Brasil Digital

Capa ES Brasil 181
Continua após publicidade

Fique por dentro

Guedes volta a enfatizar necessidade de acelerar privatizações

"No primeiro ano em meio de governo fizemos nosso dever de casa e agora vamos fazer um road show de investimentos", completou o ministro

Guedes: estamos próximos de assinar acordo com EUA para evitar dupla taxação

Segundo o ministro, as novas reformas e novas fronteiras de investimento em diferentes setores possibilitarão o crescimento

Guedes diz que pode desistir de imposto sobre transações digitais

"A Febraban é que mais subsidia e paga todos os economistas brasileiros para dar consultoria contra esse imposto", afirmou Guedes

Rebanho bovino alcançou 214,7 milhões de animais em 2019, afirma IBGE

O Estado de Mato Grosso manteve a liderança na criação de gado, com 31,7 milhões de cabeças, o equivalente a 14,8% do rebanho nacional

Vida Capixaba

Disque-Denuncia completa 19 anos de existência

O Disque-Denúncia 181 da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) completou 19 anos de existência e auxílio no trabalho policial no Espírito Santo.

Premio Inoves tem o maior número de inscritos em dois anos

O Inoves, uma premiação de Gestão Pública, registrou o maior numero de inscritos desde o ano de 2018.

Instituto capixaba investe 1 milhão de reais em startups

Os futuros empreendedores capixabas serão contemplados com o investimento de R$1 milhão, para quem deseja abrir seu próprio negócio.

Um dia No Parque

O parque Estadual da Pedra Azul, em Domingos Martins, está participando do Festival um Dia no Parque.
Continua após publicidade