23.9 C
Vitória
sábado, 27 novembro, 2021

Banco Central sobe juros para 4,25% ao ano

Taxa básica de juros subiu de 3,50% para 4,25% ao ano — o maior patamar registrado desde fevereiro do ano passado – antes da pandemia

por Samantha Dias

O Banco Central elevou a taxa básica de juros da economia (Selic) de 3,50% para 4,25% ao ano — o maior patamar registrado desde fevereiro do ano passado – antes da pandemia, quando a Selic estava em 4,50% ao ano.

Para decidir por esse aumento da Selic, o Banco Central considerou o aumento da inflação. Desde março deste ano, o BC está elevando os juros, numa tentativa de controlar a inflação. Desde agosto do ano passado até março deste ano os juros ficaram em seu patamar mínimo histórico (2% ao ano), por causa das preocupações sobre os efeitos da pandemia da covid-19 no Brasil e no mundo. Somente em março teve aumento para 2,75%.

O Banco Central ainda deixou em aberto a possibilidade de um novo aumento da mesma magnitude na próxima reunião, marcada para daqui 45 dias.

Entenda a relação juros X inflação

Segundo o economista e conselheiro do Corecon, Sebastião Demuner, a taxa Selic rege o mercado nacional e os juros são usados para tentar controlar a inflação. Quando a inflação está alta, o Banco Central eleva os juros para frear o consumo e forçar o mercado a diminuir os preços (lei da oferta e demanda).

“O controle dos juros é uma medida temporária usada pelos governos para controle”, disse Demuner.

O economista Aridelmo Teixeira disse que os juros abaixo da inflação, aliado a uma previsão de desaceleração da inflação e uma expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) é bom para o governo federal porque reduz a dívida da União.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade