18.3 C
Vitória
sexta-feira, 1 julho, 2022

ArcelorMittal Tubarão inaugura maior planta de dessanilização do Brasil

Foram cerca de dois anos de estudos, além da avaliação de diversas alternativas tecnológicas. Foto: Renato Cabrini

Ao utilizar a água do mar, empresa poderá evitar a captação no rio de um volume suficiente para abastecer 80 mil pessoas

Resultado de investimentos da ordem de R$50 milhões, ArcelorMittal Tubarão, sediada no município da Serra, inaugurou a primeira planta de dessalinização da água do mar do país. Com capacidade para processar 500 m³, a iniciativa é uma importante contribuição para a segurança hídrica do Espírito Santo, já que esse volume – suficiente para abastecer 80 mil pessoas – poderá deixar de ser retirado do rio Santa Maria da Vitória.

De acordo com o então CEO da ArcelorMittal Brasil, Benjamin Baptista Filho, que no fim do mês de setembro anunciou aposentadoria e segue como Presidente do Conselho de Administração da ArcelorMittal Brasil, desde a crise hídrica no país em 2014 a empresa pesquisa e investe em estratégias e alternativas para suprir a necessidade do abastecimento de água doce.

“Foram cerca de dois anos de estudos, além da avaliação de diversas alternativas tecnológicas para a dessalinização. Isso tudo para definir pelo projeto que mais se encaixa à nossa realidade e expectativas”, destacou o CEO da empresa afirmando que a nova
tecnologia implantada é considerada de ponta, e comum em países como Israel, Espanha e Estados Unidos, por exemplo.

Foto: Renato Cabrini

A siderúrgica consome 1.800 m³/h de água do Rio Santa Maria da Vitória e, com a planta de dessalinização, a ideia é depender menos desse volume, que poderá, então, ser disponibilizado para a sociedade. Com capacidade de dessalinizar 500 m³/h, que corresponde a quase 30% do consumo atual de água doce, a ideia é a instalação de mais duas plantas de dessalinização no futuro.

SUSTENTABILIDADE E PRESERVAÇÃO

A planta de dessalinização já está em funcionamento, e consumirá cerca de 3MW de energia elétrica, que representa menos de 1% do total de energia gerada pela própria ArcelorMittal Tubarão, que é autossuficiente em energia elétrica. Jorge Oliveira, executivo que assumirá como CEO Aços Planos América do Sul a partir de outubro, disse que o consumo de água doce diminuiu cerca de 40% nos últimos anos com medidas de controle de desperdício.

Disse, ainda, que atualmente 96% da água usada pela Arcelor é água do mar, mas seu uso é exclusivamente para refrigeração dos equipamentos de produção de aço.

Ele também explicou que o processo não tem impactos ambientais e que a salmoura (solução de sal proveniente da dessalinização) será devolvida ao mar. Mas, segundo os representantes da Arcelor, a salmoura acrescentará cerca de 1% de sal apenas ao que já é devolvido atualmente, ou seja, não terá acréscimo significativo.

 

Foto: Renato Cabrini. Erik Torres Vice presidente de operações

“A salmoura nada mais é que os sais que já são presentes dentro da água do mar que foi captado, onde o processo de osmose reversa retira esses sais, e essa água é utilizada para resfriamento dos equipamentos sem que haja contato direto com o processo. Assim, essa água retorna para o mar através de um canal que nós chamamos de canal de retorno de água do mar, reencontra um afluente de salmoura na ordem de 800 m³/h, e retorna sem qualquer tipo de impacto para o mar”, destaca Bernardo Enne Correa da Silva, Gerente de Sustentabilidade e Meio Ambiente.

“A história da empresa com toda essa gestão sustentável para consumo de água, geração de energia, ela permite que essa unidade de dessalinização possa operar tendo o menor impacto possível para o meio-ambiente, e o grande impacto positivo que é a redução de consumo de água que seja de fonte compartilhada com a sociedade”, completa Bernardo.

Foto: Renato Cabrini. Benjamim Baptista Filho, o então CEO da ArcelorMittal Brasil

INOVAÇÃO

Com autonomia e autossuficiência em energia elétrica, que de forma sustentável é utilizada para fazer todo o processo de dessalinização de água do mar, a ArcelorMittal Tubarão está caminhando na mesma linha de gestão hídrica.

Os estudos para a implantação contemplaram diferentes alternativas tecnológicas, e discussões técnicas com fornecedores de plantas de dessalinização e de membranas de osmose reversa em todo o mundo. A ArcelorMittal Tubarão cuidará do processo de ponta a ponta.

Pensar a água é pensar no planeta, que reconhece isso. A iniciativa foi premiada internacionalmente pela principal associação voltada para a dessalinização no mundo, a International Desalination Association (IDA).

“É um projeto inovador, não só no contexto do Estado, mas no contexto de Brasil, de país, uma vez que vai ser a primeira planta em escala industrial a estar produzindo água, de fonte de água do mar, água dessalinizada”, finalizou o Gerente de Sustentabilidade e Meio Ambiente.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade