22.1 C
Vitória
sábado, 25 maio, 2024

Crescimento de 63,4% na movimentação econômica das cooperativas capixabas

Valores podem chegar a R$ 18,8 bilhões até 2027, revela estudo

Por Kikina Sessa

Pelo quarto ano consecutivo, o Sistema OCB/ES lança o Anuário do Cooperativismo Capixaba, publicação que reúne os principais dados, indicadores e avanços das cooperativas atuantes no Espírito Santo.

- Continua após a publicidade -

De acordo com o estudo, esse modelo de negócio está presente nos 78 municípios. Juntas, as cooperativas capixabas mantêm 11,5 mil postos de trabalho, somam 747 mil cooperados e são responsáveis por uma movimentação econômica de mais de R$ 11,5 bilhões, valor equivalente a 6,4% do Produto Interno Bruto (PIB) nominal do estado.

O modelo de negócio baseado na cooperação entre pessoas vem crescendo no estado. “E a expectativa é que os indicadores melhorem ainda mais até 2027. Isso porque a meta é que as coops capixabas alcancem um faturamento de R$ 18,8 bilhões até lá”, comenta Carlos André Santos de Oliveira, diretor-executivo do Sistema OCB/ES. Foto: Sistema OCB/ES.

Além disso, planeja-se que nesse mesmo período o número de cooperados chegue a 942,9 mil, enquanto o de colaboradores (empregados celetistas) deve subir para quase 12 mil. A intenção é que o total de cooperados aumente 10% a cada ano, enquanto o índice de empregos diretos gerados suba 5,5% ao ano.

Marco

A meta estadual é parte de um desafio maior, que abarca todo o cooperativismo em território nacional. O Sistema OCB, instituição que representa todas as cooperativas do país, juntamente com suas unidades estaduais, estabeleceu como objetivo o alcance da marca de R$ 1 trilhão de prosperidade até 2027 pelas coops brasileiras.

“Fala-se em prosperidade porque, além do fator econômico, as cooperativas estarão empenhadas em fortalecer seus princípios e sua razão de existir. Isso compreende uma melhor distribuição de renda para os cooperados e a sociedade, o que ocorre sempre que uma cooperativa investe na comunidade em que está inserida, fazendo circular riqueza, gerando emprego, pagando impostos e implementando projetos sociais.”

As cooperativas capixabas já demonstraram diversas vezes a sua capacidade de superar desafios, de promover o desenvolvimento socioeconômico e de contribuir com a sustentabilidade da comunidade, de forma simultânea. Prova disso é que, de 2021 para 2022, o faturamento delas saiu de R$ 8,4 bilhões para 11,5 bilhões, um crescimento de cerca de 37%. Se a variação continuar evoluindo nesse ritmo, o Espírito Santo com certeza poderá contar com uma contribuição de pelo menos R$ 18,8 bilhões oriundos do coop em sua economia.

Esses resultados também irão estimular o surgimento de mais benefícios e novas oportunidades para a população capixaba, uma vez que a riqueza gerada por uma cooperativa causa impactos positivos que ecoam em várias frentes econômicas e sociais, retornando para a sociedade em forma de mais qualidade de vida e promovendo o desenvolvimento local. Afinal, as cooperativas trabalham para as pessoas, e não o inverso. Esse é o principal diferencial do modelo de negócio.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA