21.8 C
Vitória
segunda-feira, 18 janeiro, 2021

Aras vai ao STF contra licença para mãe adotiva e biológica

As adotantes terão 120 dias de licença, prorrogáveis por mais 45 dias, se a criança tiver até um ano de idade

Por Rayssa Motta (AE)

O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira, 24, duas ações diretas de inconstitucionalidade contra leis que estabelecem prazos de licença-maternidade distintos para mães biológicas e adotivas e segundo a idade da criança adotada.

As ações questionam dispositivos da Lei Federal 13.106/2015, que dispõe sobre os prazos de licença gestante e adotante para mulheres da carreira militar federal, e da Lei 2.578/2012, do Estado do Tocantins, que regulamenta o Estatuto dos Policiais Militares e dos Bombeiros Militares estaduais.

A lei federal diz que a militar gestante terá direito à licença de 120 dias, prorrogáveis por mais 60 dias. Já as militares que adotarem ou obtiverem a guarda judicial de criança de até um ano terão 90 dias de licença, com prorrogação de mais 45 dias. Se a criança tiver mais de um ano, o prazo será de 30 dias, prorrogáveis por mais 15. Já a lei do Tocantins prevê 120 dias de licença gestante para as mulheres da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, prorrogáveis por mais 60 dias. As adotantes terão 120 dias de licença, prorrogáveis por mais 45 dias, se a criança tiver até um ano de idade; 60 dias, se a criança tiver de um a quatro anos; e 30 dias, no caso de crianças de quatro a oito anos. Nos dois últimos casos, a licença adotante pode ser prorrogada por 30 dias.

Para Aras, ao estabelecer uma diferenciação entre as maternidades biológica e adotiva e entre as idades das crianças adotadas, as leis incorrem em discriminação. Na avaliação do procurador-geral, os dispositivos questionados violam o princípio da igualdade, o direito social à proteção da maternidade e da infância, o dever estatal de proteção da família, o direito da criança à convivência familiar e a proibição de discriminação no tratamento jurídico entre filhos biológicos e adotivos.

Nas ações, o chefe do Ministério Público Federal argumenta que a Constituição reconheceu o resguardo à maternidade como direito fundamental social para, além de dar segurança às mulheres no mercado de trabalho, garantir que crianças e jovens tenham acesso à convivência familiar, sem discriminação.

“Entre os bens jurídicos tutelados pela licença-maternidade está a dignidade humana daquele que, pelo parto ou pela adoção, passa a integrar a família na condição de pessoa em desenvolvimento construção da relação afetiva”, observou Aras.

“A leitura individualista da licença-maternidade como direito de cunho exclusivamente biológico, justificado tão somente na recuperação da mulher após o parto, encontra-se ultrapassada. Trata-se, na atualidade, de direito partilhado de forma indissociável entre mãe e filho”, completou.

O PGR lembra ainda que o Supremo Tribunal Federal já se manifestou sobre a matéria. Em 2016, ao julgar o recurso da uma servidora da Justiça Federal em Pernambuco, os ministros firmaram a tese de repercussão geral que veda a distinção entre os prazos e prorrogações das licenças adotante e gestante.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Juíza federal dá 24h para União e AM apresentarem plano para oxigênio

Os órgãos pedem uma liminar urgente para obrigar os governos federal e estadual a agirem para resolver a situação de desabastecimento de oxigênio

Cresce pressão por impeachment de Bolsonaro

circula nas redes e em aplicativos de mensagens uma convocação de opositores do governo para um "panelaço" nesta noite às 20h30

PT vai ao STF para pedir atuação do governo federal na crise de Manaus

O estoque de oxigênio se esgotou em diversos hospitais e pacientes morreram por asfixia, segundo relato de médicos

Bolsonaro evita falar sobre permanência de presidente do BB

o comunicado foi considerado inoportuno no momento em que o Executivo negocia apoio com parlamentares em troca de aliados

Pazuello diz que vacinação deve começar em 20 de janeiro

O ministro disse aos prefeitos que as doses da vacina de Oxford/AstraZeneca devem chegar aos Estados na segunda-feira, 18

Prefeitos reúnem-se com Pazuello para discutir vacinação

Apesar de não ter batido o martelo sobre uma data para o início da vacinação no País, na melhor hipótese, começa em 20 de janeiro

ES Brasil Digital

ESBrasil-184 - Retrospectiva
Continua após publicidade

Fique por dentro

Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões

as variáveis determinantes para os resultados estão relacionadas aos preços dos produtos no mercado interno

Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020

esses setores foram responsáveis por 80% das exportações do agronegócio em 2020, contra os 78,9% de participação registrados em 2019

Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos

A Conab ressalta que, neste quarto levantamento, houve uma revisão da periodicidade e metodologia do quadro de oferta e demanda de arroz

2ª onda não tem mesmas consequências econômicas da 1ª

Bruno Serra afirmou também que a instituição precisou adotar um grau de estímulo monetário "forte" no Brasil

Vida Capixaba

Festival verão sem aglomeração

O Festival de Verão sem Aglomeração acontece de 18 a 23 de janeiro

Vai um queijinho aí?

O município de Ibitirama ganhou sua primeira agroindústria, o negócio é uma queijaria e foi o primeiro estabelecimento de 2021

Aquaviário: Transporte parece mais perto!

Serão quatro estações em três cidades, duas em Vitória, uma em Vila Velha e outra em Cariacica

Edição Especial dos Cafés Campeões

Produtores foram homenageados pela Cooperativa Cooabriel
Continua após publicidade